Política

PSDB vai à Justiça contra PT e acusa o partido de agir com 'má-fé'

Ação tucana foi motivada pelo intuito petista de pedir ao TSE investigação sobre o depoimento de ex-presidente da Andrade Gutierrez

Durante o encontro foi realizado um balanço da atuação dos órgãos durante o período chuvoso, além do planejamento das próximas açõesDurante o encontro foi realizado um balanço da atuação dos órgãos durante o período chuvoso, além do planejamento das próximas ações - Foto: Divulgação

O PSDB afirmou nesta sexta-feira (23) que entrará na Justiça contra o PT em razão do que chamou de "prática de litigância de má-fé".

Segundo a direção nacional tucana, o PT "acusa deliberadamente o PSDB por fatos que, sabe, são inverídicos". "Com o intuito de desviar o foco das graves acusações que pesam sobre o PT, a legenda tem repetidas vezes utilizado a Justiça Eleitoral para registrar falsas acusações ao invés de prestar esclarecimentos sobre, por exemplo, escândalos como as gráficas fantasmas que atuaram na campanha presidencial de Dilma Rousseff", declara a nota do PSDB.

A ação tucana foi motivada pelo intuito petista de pedir ao TSE investigação sobre o depoimento que Otávio de Azevedo, ex-presidente da Andrade Gutierrez, prestou em ação de cassação da chapa Dilma Rousseff-Michel Temer, na eleição de 2014. A informação foi divulgada pela Folha de S.Paulo nesta sexta (23).

Em depoimento, Azevedo disse ter verificado seus recibos e chegado à conclusão que doou à campanha de Aécio R$ 19 milhões, e não apenas R$ 12,6 milhões, como estava registrado na prestação de contas dos tucanos.

Foi também nesse depoimento que o executivo mudou sua versão ao sustentar, diferentemente do que havia dito antes, que não repassou propina para a chapa Dilma-Temer. A informação inicial, agora revista, poderia levar à cassação da chapa e, consequentemente, à perda do mandato de Temer.

O PT classificou o depoimento de Azevedo como um "fato de extrema gravidade que pode, em tese, determinar que as contas de Aécio sejam julgadas irregulares", caso fique comprovado que o PSDB não declarou tudo o que recebeu da empreiteira.

Na resposta desta sexta, o PSDB disse que os R$ 19 milhões da Andrade Gutierrez "foram transferidos para a conta do comitê financeiro da campanha presidencial, sendo R$ 12,7 milhões para a conta do candidato a presidente e o restante para outros candidatos, partidos ou comitês dentro da estrutura da própria campanha nacional".

A ação de cassação da chapa Dilma-Temer começou a ser movida pelo PSDB antes que Temer assumisse o governo e que os tucanos passassem a integrar sua base.
Leia a íntegra da nota tucana:

"PSDB denuncia PT à Justiça

O PSDB vai denunciar o PT à Justiça por prática de litigância de má-fé em razão de a legenda acusar deliberadamente o PSDB por fatos que, sabe, são inverídicos. Com o intuito de desviar o foco das graves acusações que pesam sobre o PT, a legenda tem repetidas vezes utilizado a Justiça Eleitoral para registrar falsas acusações ao invés de prestar esclarecimentos sobre, por exemplo, escândalos como as gráficas fantasmas que atuaram na campanha presidencial de Dilma Rousseff.

Lamentavelmente o PT vem sistematicamente usado a Justiça para fins políticos. Este modo de agir nos processos, além de ir contra a boa-fé que a lei espera das partes, prejudica os trabalhos da Justiça Eleitoral, evidenciando mais um grande desserviço do PT ao país. Na ausência de qualquer irregularidade nas contas do PSDB, cria-se factoides para desviar a imprensa e a opinião pública das comprovadas práticas criminosas do PT e seus representantes. Neste contexto, é evidente a litigância de má-fé do partido, razão pela qual o PSDB pedirá à Justiça Eleitoral que puna o PT por suas condutas abusivas", afirmou o advogado do PSDB Flávio Henrique Pereira.

A decisão do PSDB foi provocada por nova falsa denúncia feita pelo PT usando doações realizadas pela empresa Andrade Gutierrez ao partido. Doações devidamente registradas como determina a lei, inclusive com a emissão de recibos eleitorais numerados. A empresa doou R$ 33 milhões ao PSDB, em 2014, valor que engloba doações eleitorais e não eleitorais. Desse total, R$ 19 milhões foram transferidos para a conta do comitê financeiro da campanha presidencial, sendo R$ 12,7 milhões para a conta do candidato a presidente e o restante para outros candidatos, partidos ou comitês dentro da estrutura da própria campanha nacional, e utilizado para pagamento de gastos ordinários do comitê, como tributos.

Todas essas doações e transferências constam da prestação de contas do PSDB junto ao TSE, injustificando a denúncia."

Veja também

PL veta apoio de bolsonaristas a candidatos de outros partidos e proíbe manifestações em redes
Política

PL veta apoio de bolsonaristas a candidatos de outros partidos e proíbe manifestações em redes

Deputado do PT apresenta projeto que retira gastos com mudanças climáticas da meta fiscal
Política

Deputado do PT apresenta projeto que retira gastos com mudanças climáticas da meta fiscal

Newsletter