PT se reúne nesta quinta para oficializar candidatura de Lula

A reunião da executiva, na sede nacional da Central Única dos Trabalhadores (CUT), na região central de São Paulo, contará com a presença do ex-presidente

PT se reúne para candidatura de Lula em São PauloPT se reúne para candidatura de Lula em São Paulo - Foto: Nelson Almeida / AFP

A direção nacional do Partido dos Trabalhadores (PT) se reúne nesta quinta-feira (25) para reafirmar a candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva a presidente da República, um dia depois da derrota do petista por unanimidade no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4).

A reunião da executiva, na sede nacional da Central Única dos Trabalhadores (CUT), na região central de São Paulo, conta com a presença de Lula. Ele foi recebido ao som do refrão "olê, olê, olá, Lula, Lula", cantado pelos filiados. Também participam as principais lideranças da sigla, como a presidente nacional Gleisi Hoffmann (PR) e os vice-presidentes. A ex-presidente Dilma Rousseff também teve a presença confirmada.

Leia também
Veja repercussão entre políticos sobre condenação de Lula em segunda instância
Gleisi Hoffmann chama julgamento de Lula de farsa
Imprensa internacional destaca condenação de Lula em 2ª instância


O rigor da sentença desta quarta-feira (24) encurtou o cronograma projetado pelo PT para brigar pelo registro do nome de Lula na disputa pelo Planalto, mas o partido reiterou a intenção de registrar a candidatura dele. Ao mesmo tempo, intensificaram-se as discussões reservadas sobre a possibilidade de um plano B, caso o ex-presidente seja impedido. São cotados o ex-governador baiano Jaques Wagner e o ex-prefeito paulistano Fernando Haddad.

O encontro da executiva tratará dos cenários a partir de agora, inclusive com a possibilidade de prisão de Lula. Os governadores Wellington Dias (PI), Rui Costa (BA), Fernando Pimentel (MG), Camilo Santana (CE) e Tião Viana (AC), todos do PT, estão no encontro.

Veja também

Senado aprova MP sobre acionistas de sociedades anônimas
medida provisória

Senado aprova MP sobre acionistas de sociedades anônimas

'Melhor não pagar de gostosão', diz Paulo Marinho a Flávio Bolsonaro depois de ataque
política

'Melhor não pagar de gostosão', diz Paulo Marinho a Flávio Bolsonaro depois de ataque