PTB lança Célia Sales em Ipojuca

A esposa de Romero Sales teve o nome oficializado durante a convenção do partido

O ex-ministro Armando Monteiro Filho prestigiou a convenção do PTB que escolheu o nome de Célia Sales, ontemO ex-ministro Armando Monteiro Filho prestigiou a convenção do PTB que escolheu o nome de Célia Sales, ontem - Foto: Divulgação

 

A disputa pelo comando de Ipojuca já tem uma candidatura oficial. Em convenção, celebrada ontem, o PTB ungiu Célia Sales para o pleito, que será realizado no dia 2 de abril. Casada com Romero Sales (PTB), que venceu a eleição no ano passado, mas teve sua candidatura indeferida, a petebista enfrentará o ex-prefeito Carlos Santana (PSDB), que terá sua postulação homologada hoje. Estreante nas urnas, Célia fez um discurso de esperança, durante o ato que foi chancelado pelo senador Armando Monteiro Neto e o seu pai, o ex-ministro Armando Monteiro Filho.
“Nós vamos exigir que Ipojuca avance com muita rapidez, porque estamos no atraso há muitos anos. E eu tenho pressa. Eu tenho pressa de transformar essa cidade em uma cidade modelo. Eu serei a melhor prefeita que Ipojuca já teve”, garantiu a petebista em seu pronunciamento, diante de aliados do PT, PTN, PTdoB, PP, PSDB, PRB e líderes da Central Única dos Trabalhadores (CUT-PE) e Confederação Nacional dos Metalúrgicos (CNM). Em um tom otimista, Sales disse estar preparada para tornar Ipojuca uma cidade modelo, governando com a participação popular.
Durante o ato de homologação da candidatura, o senador Armando Monteiro fez um discurso de cooperação, em uma eventual administração da correligionária, e aproveitou para alfinetar os adversários.

Afirmou que o seu gabinete no Senado estará de portas abertas para contribuir e trabalhar em benefício da população e do desenvolvimento do município. Aos adversários, disse que o cenário de 2018 depende da mudança na cidade, já em 2017. “Essa é a hora de construir uma vitória maiúscula, que corresponda ao amadurecimento do povo de Ipojuca, que, mais do que nunca, sabe qual é o caminho.

 O Estado está de olho em Ipojuca porque Pernambuco poderá mudar em 2018 se Ipojuca mudar em 2017”, afirmou Armando. Na sua visão, o Estado tem governador, mas não tem governo e a atual gestão não consegue garantir o mínimo para a população, como questões de segurança.
Histórico
Com o início do rito eleitoral, apresentado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE), está ficando cada vez mais próximo o fim do imbróglio que marcou as eleições de 2016. Naquele ano, os candidatos Carlos Santana (PSDB) e Romero Sales (PTB) disputaram o comando da cidade.

No pleito, Romero obteve maior número de votos. Mas uma ação impetrada na Justiça Eleitoral pelos adversários levou o petebista a ter a candidatura indeferida por improbidade administrativa, ainda quando era vereador da cidade.

Sub judice, coube ao presidente da Câmara dos vereadores, Irmão Ricardo (PTC), ligado a Santana, assumir a Prefeitura de Ipojuca, o que levou a uma onda de protestos por novas eleições. O próximo passo é a propaganda eleitoral, que começa dia 13 de março.

 

Veja também

Braga Netto prega união contra iniciativas de desestabilização
Política

Braga Netto prega união contra iniciativas de desestabilização

Covid-19: Em reunião com ministro da Saúde, Patriota pede coordenação e planejamento
Pandemia

Covid-19: Em reunião com ministro da Saúde, Patriota pede coordenação e planejamento