Política

PTB lança Célia Sales em Ipojuca

A esposa de Romero Sales teve o nome oficializado durante a convenção do partido

O ex-ministro Armando Monteiro Filho prestigiou a convenção do PTB que escolheu o nome de Célia Sales, ontemO ex-ministro Armando Monteiro Filho prestigiou a convenção do PTB que escolheu o nome de Célia Sales, ontem - Foto: Divulgação

 

A disputa pelo comando de Ipojuca já tem uma candidatura oficial. Em convenção, celebrada ontem, o PTB ungiu Célia Sales para o pleito, que será realizado no dia 2 de abril. Casada com Romero Sales (PTB), que venceu a eleição no ano passado, mas teve sua candidatura indeferida, a petebista enfrentará o ex-prefeito Carlos Santana (PSDB), que terá sua postulação homologada hoje. Estreante nas urnas, Célia fez um discurso de esperança, durante o ato que foi chancelado pelo senador Armando Monteiro Neto e o seu pai, o ex-ministro Armando Monteiro Filho.
“Nós vamos exigir que Ipojuca avance com muita rapidez, porque estamos no atraso há muitos anos. E eu tenho pressa. Eu tenho pressa de transformar essa cidade em uma cidade modelo. Eu serei a melhor prefeita que Ipojuca já teve”, garantiu a petebista em seu pronunciamento, diante de aliados do PT, PTN, PTdoB, PP, PSDB, PRB e líderes da Central Única dos Trabalhadores (CUT-PE) e Confederação Nacional dos Metalúrgicos (CNM). Em um tom otimista, Sales disse estar preparada para tornar Ipojuca uma cidade modelo, governando com a participação popular.
Durante o ato de homologação da candidatura, o senador Armando Monteiro fez um discurso de cooperação, em uma eventual administração da correligionária, e aproveitou para alfinetar os adversários.

Afirmou que o seu gabinete no Senado estará de portas abertas para contribuir e trabalhar em benefício da população e do desenvolvimento do município. Aos adversários, disse que o cenário de 2018 depende da mudança na cidade, já em 2017. “Essa é a hora de construir uma vitória maiúscula, que corresponda ao amadurecimento do povo de Ipojuca, que, mais do que nunca, sabe qual é o caminho.

 O Estado está de olho em Ipojuca porque Pernambuco poderá mudar em 2018 se Ipojuca mudar em 2017”, afirmou Armando. Na sua visão, o Estado tem governador, mas não tem governo e a atual gestão não consegue garantir o mínimo para a população, como questões de segurança.
Histórico
Com o início do rito eleitoral, apresentado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE), está ficando cada vez mais próximo o fim do imbróglio que marcou as eleições de 2016. Naquele ano, os candidatos Carlos Santana (PSDB) e Romero Sales (PTB) disputaram o comando da cidade.

No pleito, Romero obteve maior número de votos. Mas uma ação impetrada na Justiça Eleitoral pelos adversários levou o petebista a ter a candidatura indeferida por improbidade administrativa, ainda quando era vereador da cidade.

Sub judice, coube ao presidente da Câmara dos vereadores, Irmão Ricardo (PTC), ligado a Santana, assumir a Prefeitura de Ipojuca, o que levou a uma onda de protestos por novas eleições. O próximo passo é a propaganda eleitoral, que começa dia 13 de março.

 

Veja também

Presidente do STJ autoriza retomada de processo no TCU contra Deltan Dallagnol
Política

Presidente do STJ autoriza retomada de processo no TCU contra Deltan Dallagnol

49% acreditam que Bolsonaro não fez tudo o que estava a seu alcance no caso Dom e Bruno
Política

49% acreditam que Bolsonaro não fez tudo o que estava a seu alcance no caso Dom e Bruno