Quando tentam parar o país, exercemos autoridade, diz Temer

Michel Temer (MDB) ignorou a greve de caminhoneiros em evento para empresários organizado pela Apex Brasil, no nono dia da paralisação. Presidente, porém, mandou recado.

Michel Temer (MDB) ignorou a greve de caminhoneiros em evento para empresários organizado pela Apex Brasil nesta terça-feira (29), nono dia da paralisação.Michel Temer (MDB) ignorou a greve de caminhoneiros em evento para empresários organizado pela Apex Brasil nesta terça-feira (29), nono dia da paralisação. - Foto: Reprodução/Twitter Michel Temer

Com semblante abatido e pigarreando, o presidente Michel Temer (MDB) ignorou a greve de caminhoneiros em evento para empresários organizado pela Apex Brasil nesta terça-feira (29), nono dia da paralisação.

Ele mandou, porém, um recado. "Quando alguns rejeitam o diálogo e tentam parar o Brasil, nós exercemos autoridade para preservar a ordem e os direitos da população", discursou, em São Paulo.

Leia também:
Cresce chance de Temer não terminar mandato, dizem membros do Congresso e STF
Temer diz ter convicção de que paralisação será encerrada até esta terça
Temer facilita entrega do petróleo brasileiro, diz Marinho em sabatina


O governo promove uma caça a eventuais infiltrados na greve que estejam forçando caminhoneiros a ficar parados e erguem bandeiras como golpe militar e queda de Temer, diversas à que originou o movimento. A demora em pôr fim à greve motiva críticas ao governo.

"Alguns confundem - quero dizer isto em letras garrafais - a vocação para o diálogo com eventual leniência política ou fraqueza política. Na verdade, é justamente o oposto", rebateu de forma cifrada o presidente.

No discurso de 15 minutos, ele se limitou a elogiar a sua gestão, cuja reprovação popular é recorde no país.

Abordado pela reportagem no evento, o ministro de Relações Exteriores, Aloysio Nunes (PSDB), também não quis falar de greve. Disse estar desinformado sobre o tema depois de um mês no Sudeste Asiático.

Diversas autoridades cancelaram participação no evento, patrocinado pelo governo federal e o BID, em razão da greve.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), o ministro Eduardo Guardia (Fazenda), o prefeito Bruno Covas (PSDB) e o governador Marcio França (PSB) confirmaram, mas não compareceram.

Veja também

Queiroga vê risco de oferta irregular de vacina e diz ter o dever de persuadir Bolsonaro
Ministério da Saúde

Queiroga vê risco de oferta irregular de vacina e diz ter o dever de persuadir Bolsonaro

Pacheco e Queiroga discutem uso de fábricas de vacina animal para produzir imunizante contra Covid
Coronavírus

Pacheco e Queiroga discutem uso de fábricas de vacina animal para produzir imunizante contra Covid