Atos golpistas

Queda de ministro ressuscita CPI do 8 de janeiro

Imagens mostravam o ex-chefe do GSI, aparentemente, orientando os invasores

Imagens mostram Gonçalves Dias no Palácio do Planalto durante os atos golpistasImagens mostram Gonçalves Dias no Palácio do Planalto durante os atos golpistas - Foto: Reprodução / CNN Brasil

Brasília viveu um dia de tensão, ontem, com a reportagem de Leandro Magalhães, da CNN, trazendo imagens exclusivas da invasão ao Palácio do Planalto em 8 de janeiro. A repercussão foi tão estrondosa que derrubou o ministro do Gabinete de Segurança Institucional, Gonçalves Dias.

O episódio ressuscitou a já morta CPI Mista para apurar os atentados aos poderes constituídos e 8 de janeiro. Deputados da própria base de apoio do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) mudaram de posição. Eles passaram a defender a instalação da CPMI logo após a aparição das imagens de que o ex-ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Marco Edson Gonçalves Dias, teria facilitado o trânsito de vândalos no Palácio do Planalto durante os protestos de 8 de janeiro.

Imagens das câmeras de segurança obtidas pela CNN Brasil mostram que, por volta de 16h30, Gonçalves Dias estava no Palácio do Planalto, enquanto ocorriam os ataques de invasores. Primeiro, é possível vê-lo caminhando sozinho no terceiro andar. Em seguida, o ex-ministro tenta abrir duas portas e depois entra no gabinete.

No entanto, alguns minutos depois, o agora ex-ministro é visto caminhando pelo mesmo corredor que passavam alguns dos invasores. Segundo a CNN Brasil, as imagens sugerem que ele indica a saída de emergência para as pessoas. Logo depois, aparecem nas imagens outros integrantes do GSI, que aparentam indicar também o caminho de saída para os invasores que estavam no terceiro andar.

Em nota, o Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República (GSI) afirmou que as imagens mostram a atuação dos agentes de segurança. Em um primeiro momento, eles tentavam evacuar o quarto e terceiro pisos do Palácio do Planalto, concentrando os manifestantes no segundo andar. A partir de então, o reforço do pelotão de choque da Polícia Militar do Distrito Federal viria a realizar a prisão dos invasores.

A conduta do ex-ministro e de outros integrantes do gabinete está sendo apurada em uma sindicância interna, segundo o Governo. Gonçalves não compareceu, ontem, a uma audiência pública na Comissão de Segurança Pública da Câmara, alegando questões médicas.

Imediatamente, o senador Sérgio Moro (UB-PR) apresentou requerimento à Comissão de Segurança Pública do Senado para cobrar a participação do ex-ministro em audiência pública. “Gravações, divulgadas hoje nos meios de comunicação, trazem imagens de câmeras de segurança do Palácio do Planalto que revelam a presença do chefe do GSI no local no momento dos atos de vandalismo e a ausência de resistência operacional por parte das forças de segurança, sob seu comando”, afirmou Moro, em nota.

Veja também

Deputado do PT apresenta projeto que retira gastos com mudanças climáticas da meta fiscal
Política

Deputado do PT apresenta projeto que retira gastos com mudanças climáticas da meta fiscal

Lula não cumpre promessa 8 meses após ciclone; confira a coluna deste sábado (18)
CLÁUDIO HUMBERTO

Lula não cumpre promessa 8 meses após ciclone; confira a coluna deste sábado (18)

Newsletter