Ministro

Queiroga diz que Doria faz 'palanque' após SP vacinar primeira criança contra Covid-19 no Brasil

Davi, garoto indígena de 8 anos, recebeu a primeira dose nesta sexta. Estado priorizará público infantil com comorbidade

Davi foi vacinado às 12h05 desta sexta-feira (14)Davi foi vacinado às 12h05 desta sexta-feira (14) - Foto: Reprodução/TV Cultura

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, criticou o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), logo depois de o estado iniciar a vacinação de crianças contra a Covid-19 e aparecer ao lado do menino indígena Davi Seremramiwe Xavante, de 8 anos, o primeiro a receber a dose pediátrica no Brasil. As declarações foram dadas no Twitter nesta sexta-feira (14).

Davi tem deficiência motora e recebeu a primeira dose do imunizante em um evento simbólico nesta sexta-feira no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HCFMUSP). Para o cardiologista, o gestor transformou a imunização numa espécie de “palanque” político para alavancar a candidatura presidencial.

Não é a primeira vez que os dois trocam farpas. No fim de dezembro, o ministro criticou o governador por pedido de vacinação de crianças. Já Doria, declarou em junho que Queiroga tinha "recalque" após o cardiologista afirmar que os imunizantes eram distribuídos pelo governo federal.

Doria é pré-candidato à ao Palácio do Planalto pelo PSDB e já entrou em rota de colisão com o presidente Jair Bolsonaro, do qual era aliado nas eleições de 2018, em algumas ocasiões. O avanço na imunização em São Paulo pode ser vista como uma vitrine política para o governador. Crítico aos imunizantes, o mandatário já chegou a declarar que não vacinaria a filha, Laura.

Queiroga voltou a rebater críticas de atrasos na vacinação de crianças e afirmou que as doses "chegaram ao Brasil em tempo recorde". O ministério, contudo, só liberou a vacinação do público infantil — como antecipado pelo GLOBO, sem receita médica e com intervalo de oito semanas entre as duas doses — em 5 de janeiro, 20 dias após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizar o uso na faita etária de 5 a 11 anos.

O período foi marcado por um imbróglio no governo federal e a pasta decidiu realizar uma consulta à população e uma audiência pública sobre o tema. O primeiro lote de doses pediátricas da Pfizer, com 1,2 milhão de vacinas, desembarcou no Brasil na última quinta. São Paulo, por sua vez, definiu que priorizará crianças com comorbidades.

Veja também

No radar de Bolsonaro, evangélicos vão à mira de Lula e ao foco de Miguel em Pernambuco
FOLHA POLÍTICA

No radar de Bolsonaro, evangélicos vão à mira de Lula e ao foco de Miguel em Pernambuco

Roberto Jefferson registra candidatura à Presidência no TSE
Eleições 2022

Roberto Jefferson registra candidatura à Presidência no TSE