Ministro da Saúde

Marcelo Queiroga diz que não é 'despachante da Anvisa' e que a história irá julgá-lo como ministro

Declarações vêm na esteira do começo da vacinação infantil contra a Covid-19

Ministro Marcelo QueirogaMinistro Marcelo Queiroga - Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, rebateu críticas sobre a demora para o início da vacinação de crianças contra a Covid-19 e sobre a gestão dele à frente da pasta. Na avaliação do cardiologista, a pasta não precisa seguir todas as determinações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). As declarações foram dadas neste sábado em entrevista à imprensa em João Pessoa (PB).

— Quantos medicamentos, dispositivos ou produtos têm registro na Anvisa e não fazem parte das políticas públicas? O Ministério da Saúde, o ministro da Saúde não é um despachante de decisão da Anvisa, nem de agência nenhuma. O Ministério da Saúde é quem conduz a saúde pública e o ministro da Saúde é a principal autoridade do sistema de saúde no Brasil — argumentou.

 

Sob críticas diante do atraso da imunização de crianças de 5 a 11 anos, Queiroga minimizou o caso. O ministério liberou a vacinação do público infantil em 5 de janeiro, 20 dias depois de a Anvisa ter autorizado a aplicação de doses pediátricas da Pfizer no grupo.

— A história vai me julgar. Eu trabalho todo dia para que eu tenha um bom julgamento — ponderou o ministro.

Davi Seremramiwe Xavante, de 8 anos, tem deficiência motora e foi a primeira criança vacinada contra a Covid-19 no Brasil na última sexta-feira. O garoto indígena recebeu a primeira dose do imunizante em um evento simbólico nesta sexta-feira no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HCFMUSP).

A primeira remessa de vacinas pediátricas da Pfizer, com 1,248 milhão de doses, desembarcou no Brasil na última quinta-feira. De acordo com o secretário-executivo da pasta, Rodrigo Cruz, o próximo lote de doses pediátricas, previsto para a próxima quinta, foi antecipado para este domingo. Ao todo, o ministério projeta a entrega, já confirmada pelo laboratório, de 4,3 milhões de imunizantes infantis em janeiro.

Veja também

Entenda quem pode ser candidato no Brasil
Eleições

Entenda quem pode ser candidato no Brasil

Doria amplia impasse para escolha do candidato da terceira via e cria nova crise no PSDB
ELEIÇÕES 2022

Doria amplia impasse para escolha do candidato da terceira via e cria nova crise no PSDB