Raquel e Tony Gel discutem legado

Não me sinto rotulada. Tenho muita tranquilidade para debater a participação política de nossa família que tem mãos limpas.

Espetáculo "Nó" da bailarina Deborah ColkerEspetáculo "Nó" da bailarina Deborah Colker - Foto: Reprodução/Divulgação

 

Os deputados estaduais e candidatos à Prefeitura de Caruaru, Tony Gel (PMDB) e Raquel Lyra (PSDB), enalteceram administrações antigas na cidade, ao falarem sobre suas perspectivas para o futuro do município. Em entrevista à Rádio Folha 96,7 FM, Raquel disse estar à procura do eleitorado que votou em Erick Lessa (PR) e Jorge Gomes (PSB) para o Executivo caruaruense no primeiro turno, considerando que esta parcela dos eleitores, somada aos que votaram nela própria, representaria a população que se posicionou contra o “candidato que representa o passado”, em referência ao período em que Tony Gel governou a cidade, entre 2000 e 2008. Entretanto, a tucana também elogiou a administração de seu avô, João Lyra Filho, e seu pai, João Lyra Neto (PSDB) que também administraram Caruaru. O peemedebista, por sua vez, disse que a população teria “saudade” de seu governo.
Ao falar sobre a trajetória política de sua família, Raquel Lyra enfatizou os pontos que considera positivos na gestão de seus familiares e disse que o problema da administração de Tony Gel seria o “abandono” que o peemedebista teria promovido, ao renunciar ao cargo e permitir que o ex-vereador Neguinho Teixeira assumisse o Executivo municipal. “Meu avô foi prefeito de Caruaru por duas vezes. Foi o prefeito que mais construiu escolas no município. Meu pai também foi inovador na sua época.

Não me sinto rotulada. Tenho muita tranquilidade para debater a participação política de nossa família que tem mãos limpas. O que não queremos é o passado de abandono representado por Tony Gel, que deixou a prefeitura para entregar a Neguinho Teixeira que já respondia por improbidade”, afirmou.
Tony Gel disse ser “engraçado” que Raquel Lyra o acuse de representar o passado da cidade. “Ela representa o que? Ela representa um grupo que está a mais de cinquenta anos na política de Caruaru. Sou o candidato que o povo elegeu no primeiro turno. As pessoas têm saudade do meu governo. Isso que é importante”, falou o peemedebista, que também reiterou o pedido de desculpas feito à população caruaruense por ter renunciado ao cargo de prefeito.

 

Veja também

Relatório do impechment de Witzel é entregue ao Tribunal Misto
Brasil

Relatório do impechment de Witzel é entregue ao Tribunal Misto

Bolsonaro pede voto para Russomanno em São Paulo e dá apoio constrangido a Crivella no Rio
POLÍTICA

Bolsonaro pede voto para Russomanno em São Paulo e dá apoio constrangido a Crivella no Rio