REFORMA TRIBUTÁRIA

Reforma Tributária: "Não vou entrar em briga de Bolsonaro com Lula ", diz relator

Aguinaldo Ribeiro diz que a discussão não pode ser contaminada pela política radical e que não haverá um texto de consenso

Aguinaldo Ribeiro, relator da Reforma TributáriaAguinaldo Ribeiro, relator da Reforma Tributária - Foto: VInicius Loures / Câmara dos Deputados

 

O relator da Reforma Tributária, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), afirmou em evento da Confederação Nacional dos Municípios (CMN), nesta terça-feira (4), que está aberto a críticas, mas que não haverá um texto de consenso.

Em meio à articulação do PL, partido do ex-presidente Jair Bolsonaro contra a aprovação da proposta no Congresso, ele destacou que a discussão não pode ser contaminada pela política.

- Estamos abertos a construir nesse texto constitucional a melhor solução federativa, a melhor solução política que nos dê conforto e tranquilidade para votar. Mas não vamos ter um texto de consenso. Não existe isso em uma matéria tão complicada - disse o relator.

Ribeiro acrescentou ainda:
- Essa não é uma reforma de partido político, de direita, nem de esquerda e centro. Essa é uma reforma do Brasil. Não vou entrar em briga de Bolsonaro com Lula (...). Não vamos permitir que se contamine com a política radical porque não temos interesse nela. Temos que pensar no nosso país. Essa proposta nasceu no Parlamento e que está sendo discutida com municípios, estados e União.

O relator afirmou ainda que a reforma vai prezar os interesses dos municípios e que precisa "de mais conversa" para construir nessa reta final um texto que assegure o equilíbrio federativo.

- Não podemos construir um sistema capenga, se for para fazer o pior do que está, é melhor deixar como está - disse o relator.

Ele mencionou que os municípios terão direito a um seguro em caso de perdas e que ainda vai ser reunir com governadores e bancadas para fazer os ajustes finais no relatório.

De forma geral, a CMN apoia a reforma por estimar que haverá ganhos, diferentemente da Frente Nacional dos Prefeitos.

Veja também

Lula cumpre agenda com Juscelino Filho, ministro indiciado pela PF por corrupção
COMPROMISSO

Lula cumpre agenda com Juscelino Filho, ministro indiciado pela PF por corrupção

TRF2 veta uso de dados de equipamentos de Rosinha Garotinho como prova
Rio de Janeiro

TRF2 veta uso de dados de equipamentos de Rosinha Garotinho como prova

Newsletter