Relator da Previdência defende proposta de Bolsonaro e diz que reforma é necessária

Ele também defendeu que o pacote anticrime do ministro Sergio Moro seja tocado junto com a Previdência

O deputado federal delegado Marcelo Freitas, do PSL-MG, foi designado pelo presidente da CCJ para ser o relator da Previdência O deputado federal delegado Marcelo Freitas, do PSL-MG, foi designado pelo presidente da CCJ para ser o relator da Previdência  - Foto: Divulgação/ Facebook

O relator da reforma da Previdência na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça), Delegado Marcelo Freitas (PSL-MG) publicou em suas redes sociais nesta segunda-feira (8) uma nota em defesa da proposta da gestão Jair Bolsonaro.

A expectativa é de que Freitas apresente nesta terça-feira (9) um relatório pela admissibilidade total da proposta na comissão.

No texto, o relator diz que a proposta é necessária e que o Congresso não faltará com responsabilidade à nação.

Leia também:
Reforma da Previdência passa "com certeza" na CCJ, diz relator
CCJ tende a não modificar PEC da Previdência, diz presidente da comissão


"É difícil fazer o que deve ser feito! É preciso dizer o que deve ser dito! A reforma da previdência, sem excluir outras, é uma necessidade!", escreveu em publicação no Instagram, que também foi enviada por sua assessoria pelas redes sociais.

"O Congresso Nacional é soberano e saberá encontrar a melhor solução que o Brasil verdadeiramente exige! Estamos apenas fazendo a nossa parte e não hesitaremos em cumprir com o nosso dever à nação!"

O deputado escreveu que é evidente o "peso que a Previdência Social exerce sobre as receitas da União".

"Se compararmos os gastos previdenciários com as contribuições que são exclusivamente destinadas a suportá-los, fica evidente o peso que a Previdência Social exerce sobre as receitas da União. No âmbito do Regime Geral de Previdência Social (RGPS), o déficit foi de mais de R$ 190 bilhões, no Regime Próprio de Previdência Social (RPPS) dos servidores civis, alcançou mais de R$ 46 bilhões e o relacionado à inatividade dos militares e suas pensões foi de mais de R$ 43 bilhões", escreveu.
Ele também defendeu que o pacote anticrime do ministro Sergio Moro seja tocado junto com a Previdência.

"Todos sabemos que o combate à fraude e à corrupção deve ser fortalecido! Foi justamente para isso que se criou a Medida Provisória 871, de 18 de janeiro de 2019 (MP destinada ao combate às fraudes na Previdência), além do Projeto Anticrime, do Ministro Sérgio Moro, em andamento no Congresso Nacional. Essas medidas andam juntas com a Reforma!", escreveu. "Falo isso como uma das pessoas que mais coordenou ações de combate à corrupção na história da Polícia Federal!"

Veja também

Bolsonaro tem aprovação menor do que ex-presidentes que enfrentaram escândalos
GOVERNO FEDERAL

Bolsonaro tem aprovação menor do que ex-presidentes que enfrentaram escândalos

Miguel Coelho fortalece projeto para 2022
Edmar Lyra

Miguel Coelho fortalece projeto para 2022