Relator inicia voto e demonstra respaldo a Moro

João Pedro Gebran Neto, começou a parte decisiva da sessão, com a leitura de seu voto

Juiz João Pedro Gebran NetoJuiz João Pedro Gebran Neto - Foto: Divulgação

Após um intervalo de cinco minutos, o relator do caso do ex-presidente Lula na corte, juiz João Pedro Gebran Neto, começou a parte decisiva da sessão, com a leitura de seu voto. Ele disse que a sua exposição é extensa e "dividida em itens e subitens". Falou que vai evitar ler transcrições de falas do processo. "Optei por fazer um voto extenso, analítico e amplas considerações sobre o que penso", afirmou.

Em 15 minutos de fala, Gebran não entrou no teor de seu voto sobre a condenação do ex-presidente, mas respaldou a atuação do juiz Sergio Moro. Ele disse que houve uma "tentativa de desqualificar" o juízo, em referência a críticas a manifestações públicas do magistrado. Gebran também defendeu as ordens de condução coercitiva, como a que Lula foi submetido em 2016. O juiz do TRF lembra que não foi negado ao petista, naquela ocasião, o direito de ficar em silêncio.

Leia também
Advogado de Lula reclama de censura e critica Moro
Acompanhe ao vivo o julgamento de Lula no TRF-4
Entenda o caso tríplex em que Lula foi condenado


O juiz federal comentou os pedidos de suspeição do juiz Sergio Moro por parte da defesa de Lula, rejeitando essa argumentação. "O fato do magistrado tomar decisões e fundamentar suas decisões ao longo do processo não torna o magistrado suspeito. Tem o direito de fundamentar de acordo com sua compreensão dos fatos", afirmou.

Gebran também defendeu a legalidade da condução coercitiva determinada por Moro em março de 2016. O juiz disse ainda que algumas das teses defendidas pelos advogados de Lula, como a suposta incompetência de Sergio Moro para julgar o caso, já foram negadas pela corte. "A usurpação de competência não se sustenta", disse Gebran. Ele afirmou que isso já foi decidido várias vezes e que o próprio STF já remeteu casos para a Vara Federal em Curitiba.

Assista ao vivo o julgamento de Lula no TRF-4:


Veja também

Após ação do Facebook sobre fake news, Bolsonaro diz ser vítima de perseguição
brasil

Após ação do Facebook sobre fake news, Bolsonaro diz ser vítima de perseguição

Bolsonaro apresenta boas condições de saúde, diz Planalto
Coronavírus

Bolsonaro apresenta boas condições de saúde, diz Planalto