Relator recomenda que Bolsonaro seja processado no Conselho de Ética

Parlamentar prestou homenagem ao coronel Ustra, torturador da ex-presidente Dilma Rousseff, durante processo de impeachment da petista

Maciel SaluMaciel Salu - Foto: Divulgação/ Fred Jordão

O relator da representação do PV contra o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) no Conselho de Ética, deputado Odorico Monteiro (PROS-CE), apresentou seu parecer ao colegiado recomendando que a denúncia seja aceita e que o parlamentar seja processado por quebra de decoro. Como houve pedido de vista do parecer do relator, a votação foi adiada por duas sessões do colegiado.

A representação foi apresentada ao conselho pelo PV, porque na sessão de votação na Câmara da admissibilidade do processo de impeachment da ex-presidenta Dilma Rousseff, Bolsonaro prestou homenagem ao coronel Brilhante Ustra. O partido argumenta que a referência ao coronel constitui “verdadeira apologia ao crime de tortura”.

Também na reunião de hoje foi lido o parecer do deputado Subtente Gonzaga (PDT-MG) referente à representação feita contra o deputado Wladimir Costa (SD-PA). O relator propôs o arquivamento da representação, mesmo assim o parecer precisa ser discutido e votado.

O presidente do conselho, deputado José Carlos Araújo (PR-BA), convocou nova reunião do colegiado para amanhã (5), a partir das 14 h, para continuar a apreciação dos pareceres sobre as representações que estão pendentes de deliberação no colegiado.


Veja também

Bolsonaro adota a tática do 'morde e assopra' para manter Guedes
Ministério da Economia

Bolsonaro adota a tática do 'morde e assopra' para manter Guedes

Bolsonaro escanteia seus rivais e fideliza evangélicos para 2022
ESTRATÉGIA

Bolsonaro escanteia seus rivais e fideliza evangélicos para 2022