Renan e Aécio mais fragilizados

Os tucanos estão no comando de mais sete prefeituras, en­quanto que os peemedebis­tas conquistaram mais três.

Ministro das Cidades, Bruno Araújo (PSDB)Ministro das Cidades, Bruno Araújo (PSDB) - Foto: Mandy Oliver/Folha de Pernambuco

Os grandes líderes do PMDB e PSDB, Renan Calheiros e Aécio Neves, respectivamente, saíram mais fragilizados nes­tas eleições municipais. Em Alagoas, a derrota do peemedebista Cícero Almeida para o tucano Rui Palmeira de­ve reduzir a força do grupo político do senador Renan Calheiros e do governador Renan Filho nas eleições para o governo em 2018.

Em Belo Horizonte, Aécio Neves amarga sua terceira derrota conse­cutiva dentro de sua própria casa, Minas Gerais, depois que seu candidato, o também tucano João Leite, perdeu para Alexandre Kalil (PHS). Por outro lado, o resul­tado das urnas neste 2° turno voltou a fortalecer o PSDB e o PMDB pelas capitais do País. Os tucanos estão no comando de mais sete prefeituras, en­quanto que os peemedebis­tas conquistaram mais três.

Após a derrota, João Leite disse que seu partido não per­deu, mas saiu vitorioso nas eleições em nível nacional. “O PSDB sai vitorioso das urnas no Brasil sob a liderança do nosso grande líder, o senador Aécio Neves”, declarou. A eleição de 2016 transformou o PSDB no partido com a maior população governada no País neste século.

 Com vitória em 28 das 92 cidades do país com mais de 200 mil eleitores, prefeitos tucanos vão administrar municípios que somam 23,7% da população brasileira.
A vitória do PSDB em Maceió representa mais um re­vés nestas eleições para o PMDB.

A vitória folgada de Rui Palmeira (PSDB) na capital o coloca como candidato na­tural ao governo de Alagoas em 2018, quando deve enfrentar nas urnas o governador Renan Filho, que é filho do presidente do Senado.

 

Veja também

Cientistas e médicos pernambucanos pedem 'bom senso' de candidatos para evitarem aglomerações
Coronavírus

Cientistas e médicos pernambucanos pedem 'bom senso' de candidatos para evitarem aglomerações

Viagem de embaixadores ao Amazonas pode ser adiada por causa de Covid, diz Mourão
Amazônia

Viagem de embaixadores ao Amazonas pode ser adiada por causa de Covid, diz Mourão