Rezoneamento não vai alterar locais em Pernambuco

Em Pernambuco a ação foi aplicada em 18 municípios e afeta 618.471 eleitores, mas, na prática, não altera os locais de votação e estende-se, apenas, à mudança de numeração da zona e da seção do eleitor

Título de eleitorTítulo de eleitor - Foto: Rafael Neddermeyer/Fotos Públicas

Atendendo à resolução do Tribunal Superior Eleitoral, que pretende extinguir zonas eleitorais com menos de dez mil eleitores, foi realizado um rezoneamento em todo o País. Em Pernambuco a ação foi aplicada em 18 municípios e afeta 618.471 eleitores, mas, na prática, não altera os locais de votação e estende-se, apenas, à mudança de numeração da zona e da seção do eleitor.

“Os remanejamentos têm como objetivo uma melhor redistribuição do eleitorado pelas diversas zonas que fazem parte dos respectivos municípios aqui do Estado. Isso tem como objetivo trazer maior celeridade no processo e atender a medida do TSE”, afirmou o assessor da presidência do Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco, Henrique Melo.

Cidades como Recife, Camaragibe, Paulista, Olinda e Jaboatão dos Guararapes fizeram as mudanças, mas elas não afetarão os eleitores. “Essas novas Zonas estão localizadas no mesmo local de votação do eleitor, elas foram concebidas apenas para redistribuir o eleitorado da região”, disse o assessor.

De acordo com o TRE, haverá sinalização nos locais de votação onde ocorrem as alterações. As seções serão sinalizadas com a numeração antiga e nova e após votar o eleitor receberá um novo título, com o mesmo número de registro, porem a seção e zona devidamente atualizadas. Para mais informações basta, em posse do título eleitoral, procurar o Disque Eleitor 3194-9400 ou o site da Justiça Eleitoral.

Veja também

Geraldo Pinho Alves Filho quer trazer linha de metrô para Paulista
Eleições 2020

Geraldo Pinho Alves Filho quer trazer linha de metrô para Paulista

Em Casa Amarela, João manda recado e diz que não se resolve problemas da cidade no grito
Eleições 2020

Em Casa Amarela, João manda recado e diz que não se resolve problemas da cidade no grito