Rodrigo Maia janta no Palácio das Princesas

O presidente chega a PE três dias depois de Câmara desfigurar pacote anticorrupção

 Renato Antunes (PSC) garantiu que o partido caminha para fazer parte do processo majoritário em 2020, devido ao trabalho realizado e pelo desejo de mudança da população. Renato Antunes (PSC) garantiu que o partido caminha para fazer parte do processo majoritário em 2020, devido ao trabalho realizado e pelo desejo de mudança da população. - Foto: Divulgação

Presidente da Câmara Federal, o deputado Rodrigo Maia foi à mesa, na noite de ontem, com o governador Paulo Câmara e alguns poucos convidados. O menu foi preparado para sete. Na lista: o ministro da Educação, Mendonça Filho, os deputados federais Heráclito Fortes, Jarbas Vasconcelos e Tadeu Alencar, além do prefeito do Recife, Geraldo Julio. Maia tem agenda, hoje, em Pernambuco: comparecerá ao lançamento do livro Diário de Francisco Brennand, homenagem que a sobrinha-neta, Marianna Brennand Fortes, organizou para o artista. A autora do projeto é filha de Heráclito, que embora, hoje, integre as hostes socialistas, já foi filiado ao DEM, mesmo partido de Maia e de Mendonça. Considerando a agenda do mandatário no Recife, o chefe do Executivo estadual fez o convite para uma "prévia" na sexta. Há uma semana, Paulo recebia, no Palácio das Princesas, os governadores do Nordeste, capitaneando um movimento de combate ao condicionante aplicado pelo Governo Federal para repartir o valor das multas arrecadadas com a repatriação. No caso da recepção para Maia, se não houve uma pauta específica a motivá-la, abriu-se espaço para um cardápio variado. Ele trabalha para ser reeleito presidente da Câmara Federal em fevereiro. Jarbas chegou a pedir um parecer do jurista Heleno Tavares, da USP, que respalda Rodrigo a concorrer. O documento aponta ausência de impedimento legal. Candidatos à Presidência da Câmara costumam passar para beijar a mão do governador, do qual precisam do apoio junto à bancada federal. Falta tempo, mas Maia já pode ir sedimentando terreno, enquanto Paulo Câmara estende sua atuação em agendas nacionais.

O presidente chega a PE três dias depois de Câmara desfigurar pacote anticorrupção

Menos, menos!
Enquanto o presidente Michel Temer se adiantava em atender demandas dos governadores na reunião que teve com eles no Planalto, ainda no dia 22, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, fazia sinal de negativo embaixo da mesa ao peemedebista, como se julgasse que ele estava falando demais. O episódio foi anotado por participantes da reunião. "Igual como a gente faz aqui com o governador", brinca um auxiliar de Paulo Câmara.

A pedidos > Na quinta-feira, Temer recuou de impor condições para dividir a multa da repatriação com governadores. A sensação que restou aos que participaram de negociações sobre ajuste fiscal foi a de que alguns gestores, a exemplo de Marconi Perillo (GO), tinham interesse em arrumar seus cofres e queriam diluir o desgaste atribuindo isso a uma imposição da União. Como Perillo, Meirelles também é de Goiás.
A pedidos > Na quinta-feira, Temer recuou de impor condições para dividir a multa da repatriação com governadores. A sensação que restou aos que participaram de negociações sobre ajuste fiscal foi a de que alguns gestores, a exemplo de Marconi Perillo (GO), tinham interesse em arrumar seus cofres e queriam diluir o desgaste atribuindo isso a uma imposição da União. Como Perillo, Meirelles também é de Goiás.
Caneta > O advogado Antônio Campos preside nacionalmente o Conselho de Ética do PSB desde 13 de outubro de 2014. A comissão pode agir mediante provocação ou não. Em outras palavras, assuntos éticos, inclusive os que podem decorrer de investigações externas, dependem de sua caneta para serem resolvidos internamente.
Tecla SAP > Ao argumentar, a um colega da Câmara, que seria uma má ideia votar a favor da emenda que cria punição para juízes e membros do MP por abuso de autoridade, um deputado observou o seguinte: "Em política, mais vale o que as pessoas percebem do que o que é. O Congresso anda acuado com rabo de palha e vai parecer querer intimidar o Ministério Público. A arma que a sociedade, nesse momento, dispõe é o MP. Eles viraram heróis. Se a gente for atirar no herói, vira bandido".

A pedidos > Na quinta-feira, Temer recuou de impor condições para dividir a multa da repatriação com governadores. A sensação que restou aos que participaram de negociações sobre ajuste fiscal foi a de que alguns gestores, a exemplo de Marconi Perillo (GO), tinham interesse em arrumar seus cofres e queriam diluir o desgaste atribuindo isso a uma imposição da União. Como Perillo, Meirelles também é de Goiás.
Caneta > O advogado Antônio Campos preside nacionalmente o Conselho de Ética do PSB desde 13 de outubro de 2014. A comissão pode agir mediante provocação ou não. Em outras palavras, assuntos éticos, inclusive os que podem decorrer de investigações externas, dependem de sua caneta para serem resolvidos internamente.
Tecla SAP > Ao argumentar, a um colega da Câmara, que seria uma má ideia votar a favor da emenda que cria punição para juízes e membros do MP por abuso de autoridade, um deputado observou o seguinte: "Em política, mais vale o que as pessoas percebem do que o que é. O Congresso anda acuado com rabo de palha e vai parecer querer intimidar o Ministério Público. A arma que a sociedade, nesse momento, dispõe é o MP. Eles viraram heróis. Se a gente for atirar no herói, vira bandido".
Tecla SAP 2 > O parlamentar considerou ao colega que, "neste momento, isso tudo está agredindo a sociedade em todos os níveis". E citou, em Pernambuco, "mais um prefeito no Cotel". Referia-se ao gestor de Ribeirão, Romeu Jacobina, um dos alvos da recente operação Terra Arrasada II e lembrou ainda o caso do prefeito de Catende, Otacílio Alves Cordeiro, também levado ao Cotel na operação Longa Manus, ainda em agosto.

Veja também

Abraham Weintraub é reeleito como diretor executivo no Banco Mundial por mais dois anos
Brasil

Abraham Weintraub é reeleito como diretor executivo no Banco Mundial por mais dois anos

Covas tem 26%, Russomanno, 20%, e Boulos e França empatam em terceiro, diz Ibope
SÃO PAULO

Covas tem 26%, Russomanno, 20%, e Boulos e França empatam em terceiro, diz Ibope