Política

Romero Jucá deixa liderança do governo no Senado

Na semana passada, Jucá esteve no Planalto onde participou de uma reunião sobre o assunto e sugeriu que o governo fechasse temporariamente a fronteira de Roraima

Romero Jucá afirmou que MDB será "independência ativa", apesar de ter um ministro indicadoRomero Jucá afirmou que MDB será "independência ativa", apesar de ter um ministro indicado - Foto: Antonio Cruz / Agência Brasil

O senador Romero Jucá (MDB-RR) anunciou que está deixando a liderança do governo após desentendimentos com o Palácio do Planalto sobre as respostas que têm sido dadas à crise de Roraima, após a imigração de venezuelanos que chegam ao Brasil pelo estado. Por meio do Twitter, ele disse que já comunicou a decisão ao presidente Michel Temer.

"Acabo de comunicar ao presidente Michel Temer que deixo a Liderança do Governo por discordar da forma como o governo federal está tratando a questão dos venezuelanos em Roraima", escreveu na rede social.

Na semana passada, Jucá esteve no Planalto onde participou de uma reunião sobre o assunto e sugeriu que o governo fechasse temporariamente a fronteira do estado. O objetivo, segundo ele, era evitar que Roraima entrasse em um "colapso". Desde antes, o Planalto já emitia sinais de que não limitaria a entrada de estrangeiros no país por questões humanitárias e de acordos com outros países.

Leia também:
Profissionais de saúde atenderão venezuelanos em Roraima por uma semana
Governo não fechará fronteira com Venezuela, diz Temer

Senador e candidato à reeleição pelo estado, Romero Jucá ocupava a liderança do governo no Senado desde 2016. Até o momento, o Palácio do Planalto ainda não se manifestou sobre o assunto nem confirmou o teor da conversa entre Temer e o senador.

Veja também

Temer vira conselheiro de Simone Tebet e atua para reduzir resistências à senadora no MDB
ELEIÇÕES 2022

Temer vira conselheiro de Simone Tebet e atua para reduzir resistências à senadora no MDB

Em recado a Doria, PSDB, MDB e Cidadania dizem que "resultado das prévias está vinculado a aliança"
ELEIÇÕES 2022

Em recado a Doria, PSDB, MDB e Cidadania dizem que "resultado das prévias está vinculado a aliança"