Romero Jucá deixa liderança do governo no Senado

Na semana passada, Jucá esteve no Planalto onde participou de uma reunião sobre o assunto e sugeriu que o governo fechasse temporariamente a fronteira de Roraima

Romero Jucá afirmou que MDB será "independência ativa", apesar de ter um ministro indicadoRomero Jucá afirmou que MDB será "independência ativa", apesar de ter um ministro indicado - Foto: Antonio Cruz / Agência Brasil

O senador Romero Jucá (MDB-RR) anunciou que está deixando a liderança do governo após desentendimentos com o Palácio do Planalto sobre as respostas que têm sido dadas à crise de Roraima, após a imigração de venezuelanos que chegam ao Brasil pelo estado. Por meio do Twitter, ele disse que já comunicou a decisão ao presidente Michel Temer.

"Acabo de comunicar ao presidente Michel Temer que deixo a Liderança do Governo por discordar da forma como o governo federal está tratando a questão dos venezuelanos em Roraima", escreveu na rede social.

Na semana passada, Jucá esteve no Planalto onde participou de uma reunião sobre o assunto e sugeriu que o governo fechasse temporariamente a fronteira do estado. O objetivo, segundo ele, era evitar que Roraima entrasse em um "colapso". Desde antes, o Planalto já emitia sinais de que não limitaria a entrada de estrangeiros no país por questões humanitárias e de acordos com outros países.

Leia também:
Profissionais de saúde atenderão venezuelanos em Roraima por uma semana
Governo não fechará fronteira com Venezuela, diz Temer

Senador e candidato à reeleição pelo estado, Romero Jucá ocupava a liderança do governo no Senado desde 2016. Até o momento, o Palácio do Planalto ainda não se manifestou sobre o assunto nem confirmou o teor da conversa entre Temer e o senador.

Veja também

Cidades têm volta do panelaço em protesto pela má condução da pandemia pelo governo federal
Protesto

Cidades têm volta do panelaço em protesto pela má condução da pandemia pelo governo federal

Oposição decide entrar com novo pedido de impeachment de Bolsonaro por crise em Manaus
Congresso

Oposição decide entrar com novo pedido de impeachment de Bolsonaro por crise em Manaus