'Sem comentários, não vou falar sobre isso', diz Moro sobre decisão de Marco Aurélio

Ex-juiz da 13ª Vara da Justiça Federal em Curitiba comandou a Lava Jato na capital paranaense e foi responsável pela condenação de Lula em primeira instância

Sergio MoroSergio Moro - Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Futuro ministro da Justiça do governo Jair Bolsonaro, o ex-juiz Sergio Moro preferiu o silêncio ao ser questionado sobre a decisão do ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), que mandou soltar presos condenados em segunda instância, como o ex-presidente Lula.

"Sem comentários, não vou falar sobre isso", disse Moro à Folha após deixar a primeira reunião ministerial da equipe de Bolsonaro, nesta quarta-feira (19) em Brasília. O ex-juiz da 13ª Vara da Justiça Federal em Curitiba comandou a Lava Jato na capital paranaense e foi responsável pela condenação de Lula em primeira instância no caso tríplex, que o levou à prisão.

Leia também:
PGR recorre ao STF para suspender decisão de Marco Aurélio
Decisão de Marco Aurélio pode beneficiar 169 mil presos
Decisão de Marco Aurélio é 'bastante amadurecida', diz Gleisi


Em julho de 2017, Moro estipulou ao petista pena de 9 anos e meio por corrupção e lavagem de dinheiro, aumentada a 12 anos e um mês pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região em janeiro deste ano.

Lula e o PT fazem críticas recorrentes a Moro, a quem consideram o algoz do ex-presidente. Em junho deste ano, quando o desembargador federal plantonista do TRF-4, Rogério Favreto, determinou a soltura de Lula e deu início a uma guerra de decisões judiciais, Moro interveio, mesmo em férias, e disse que Favreto não tinha competência para tomar aquela decisão.

Leia também:
'Equivocada e isolada', diz Dallagnol sobre decisão de Marco Aurélio
Decisão de Marco Aurélio é negativa e aumenta descrença na Justiça, diz FHC


"O Desembargador Federal plantonista, com todo respeito, é autoridade absolutamente incompetente para sobrepor-se à decisão do Colegiado da 8ª Turma do (TRF-4) e ainda do Plenário do Supremo Tribunal Federal", disse Moro à época. A decisão de Favreto foi revista pelo presidente do TRF-4 e Lula permaneceu na carceragem da PF em Curitiba, onde está desde abril.

Veja também

PSOL pede que STF proíba Ministério da Saúde de distribuir cloroquina
Coronavírus

PSOL pede que STF proíba Ministério da Saúde de distribuir cloroquina

Maia marca audiência com embaixador da China para tentar resolver crise das vacinas
Política

Maia marca audiência com embaixador da China para tentar resolver crise das vacinas