Sem ministro negro, Temer cria cota racial de 30% para estagiários

Segundo o secretário nacional de igualdade racial, Juvenal Araújo, a adoção do percentual é facultativa e depende da adesão das empresas públicas.

TrabalhoTrabalho - Foto: Nappy

O presidente Michel Temer assinou decreto nesta quinta-feira (28) que garante que 30% das vagas de estágio na administração pública sejam destinadas a jovens negros. A criação da cota racial será publicada nesta sexta-feira (29) no "Diário Oficial da União" e a intenção do Ministério dos Direitos Humanos é de que ela seja estendida para o Ministério Público.

Segundo o secretário nacional de igualdade racial, Juvenal Araújo, a adoção do percentual é facultativa e depende da adesão das empresas públicas."Todos os órgãos do governo federal com certeza farão essa adesão. Hoje, tivemos a Petrobras, o Banco do Nordeste, a Caixa e o Banco do Brasil. O direcionamento é para que todos façam", disse.

Leia também:
Ancine anuncia cotas de gênero e raça em edital para produção de filmes
Cota pode incluir mulher no mercado de trabalho, diz especialista do Banco Mundial


Em discurso, no Palácio do Planalto, o presidente disse que está dando "mais oportunidades a uma população que enfrenta histórico de exclusão". Hoje, contudo, nenhum dos 29 ministros é negro. A única representante do movimento era a desembargadora aposentada Luislinda Valois, demitida em fevereiro do comando dos Direitos Humanos."Isso é um documento histórico de inclusão social. Nós estamos dando mais oportunidades a uma população que enfrenta histórico de exclusão e que é vitima das mais diferentes formas", disse.

No evento, o ministro dos Direitos Humanos, Gustavo Rocha, lembrou que o percentual adotado é superior aos 20% previstos na lei de cotas raciais para vagas em concursos públicos. "A assinatura do decreto demonstra o comprometimento do governo federal com a promoção dos direitos humanos", disse.

Veja também

Governo mira sobra de R$ 9 bi do Bolsa Família para turbinar área social às vésperas de eleição
Eleições

Governo mira sobra de R$ 9 bi do Bolsa Família para turbinar área social às vésperas de eleição

Molon apresenta projeto para sustar decreto de Bolsonaro que libera militares da ativa no governo
OPOSIÇÃO

Molon apresenta projeto para sustar decreto de Bolsonaro que libera militares da ativa no governo