Sessão do Senado é suspensa após protesto contra PEC

Uma mulher burlou a barreira e gritou palavras de ordem contrárias à aprovação da PEC

Câmara de Vereadores do RecifeCâmara de Vereadores do Recife - Foto: Aguinaldo Leonel/CMR

O Senado já abriu a sessão marcada para esta terça-feira (29) que deve votar, em primeiro turno, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 55/2016, a chamada PEC do Teto de Gastos. A entrada de manifestantes nas galerias do Senado está proibida. Entretanto, uma mulher que estava na área reservada à imprensa conseguiu burlar a determinação e gritou palavras de ordem contrárias à aprovação da PEC. A proposta estabelece um teto para os gastos públicos para os próximos 20 anos.

Milhares de manifestantes se concentram, neste momento, no gramado em frente ao Congresso Nacional em protesto principalmente contra a PEC do Teto de Gastos Públicos (PEC 55/16), atualmente em análise no Senado.

A maioria do público é formada por estudantes ligados à UNE e a movimentos que ocuparam universidades e escolas públicas recentemente, mas também há indígenas, professores e sindicalistas, entre outros grupos.

Além da PEC 55/16, apelidada por eles como “PEC da Morte”, os manifestantes entoam palavras de ordem contra o governo Temer e a medida provisória que reforma o ensino médio (MP 746/16) e a favor das demarcações de terras indígenas.

Confronto com a polícia

Alguns participantes do protesto chegaram a gritar “Ocupa o Congresso”, razão pela razão o policiamento ao redor do prédio foi reforçado. Houve incidentes entre manifestantes e policiais.

Estudantes chegaram a virar um carro estacionado na rampa próxima ao gramado. A Polícia Militar, por sua vez, reprimiu o ato com gás de pimenta e bombas de efeito mora

Gláucia Morelli, da Confederação Brasileira de Mulheres, disse durante o protesto que, com a medida, "vai faltar dinheiro para a saúde e educação" e acrescentou que a proposta "tira do povo para dar a banqueiros". Ela foi retirada do plenário pela segurança da Casa. Renan suspendeu a sessão por alguns minutos e logo retomou os trabalhos. Do lado de fora do Congresso Nacional, outros grupos estão acampados em protesto à aprovação da medida.

A sessão de hoje do Senado teve início com a votação de indicação do economista Felipe Salto para diretor-executivo da Instituição Fiscal Independente (IFI). Criada pela Resolução 42/2016, a IFI auxiliará os parlamentares no acompanhamento das atividades fiscais e orçamentárias. O objetivo é dar tempo para reunir o quórum mínimo necessário para iniciar a apreciação da PEC. Ao entrar para a sessão, Renan disse que o país está "consternado" com o acidente aéreo que matou parte da delegação da Chapecoense e jornalistas brasileiros em Medellín, na Colômbia, mas disse que não há como adiar a votação da PEC.

"Nós já encerramos a discussão, vamos ter apenas encaminhamento, o que significa que nós poderemos ter um debate simplificado para apreciarmos a proposta em torno de oito ou nove horas. É a minha expectativa. Eu não tenho previsão sobre o que vai acontecer e o meu papel é conduzir esse debate com isenção para que nós tenhamos a apreciação dessa matéria, que eu considero muito importante, de forma tranquila", disse.

Sobre os protestos, Renan disse que a proibição da entrada de manifestantes leva em conta o regimento e que "a democracia tem regras". "Você pode assistir aos debates, mas não pode interferir, não pode se manifestar"

Veja também

Marcos Pontes participa de evento sobre pesquisa da nitazoxanida
Saúde

Marcos Pontes participa de evento sobre pesquisa da nitazoxanida

YouTube bloqueia vídeo de campanha de Russomanno por desrespeitar direitos autorais da Fifa
SÃO PAULO

YouTube bloqueia vídeo de Russomanno com imagens da Fifa