A-A+

Silvio: "Nunca esperei reciprocidade do PT

Na análise do deputado, Humberto usou o PCdoB de barriga de aluguel

Silvo Costa candidato ao SenadoSilvo Costa candidato ao Senado - Foto: Arthur de Souza

O deputado federal Silvio Costa do Avante, foi dos principais defensores de uma candidatura de Marília Arraes ao Governo do Estado, o que lhe rendeu o apoio dela à sua postulação ao Senado, independente de o candidato do PT ser o senador Humberto Costa. Silvio já chegou a definir, em artigo, como "desespero inútil" o trabalho desempenhado pelo governador Paulo Câmara e pelo prefeito Geraldo Júlio, em Brasília, em busca de aliança com os petistas. Hoje, ele dispara: "Essa operação de retirada de Marília foi a operação mais nojenta da história de Pernambuco e foi a vitória da banda podre do PT mesmo". Indagado, em entrevista à Rádio Folha FM 96,7, ontem, se restou decepção em relação ao PT nacional, ele devolve: "Não é o PT nacional. O grande responsável pela retirada de Marília é o senador Humberto Costa". Silvio evita atribuir responsabilidade pela aliança com o PSB em Pernambuco à presidente nacional da legenda, Gleisi Hoffmann, e ao ex-presidente Lula. "Se eu estivesse no lugar de Humberto Costa, duvido ninguém tirar Marília", arremessou. E emendou: "Eu dizia o seguinte: 'Só tira, se coligar nacionalmente'. Não. Ele se articulou com o PCdoB e usou o PCdoB como barriga de aluguel". Silvio também tira o peso da decisão das costas de Lula. "Você está pensando que essa articulação nacional todinha, em algum momento, o presidente Lula não foi colocado em segundo plano?", indaga. E argumenta: "Essa articulação foi para tentar salvar Fernando Pimentel, em Minas Gerais, e Humberto achando que vai salvar o mandato dele aqui". Ainda que tenha sido dos maiores defensores da ex-presidente Dilma Rousseff, Silvio assinala: "Quando fui contra o impeachment, eu tava ali defendendo a democracia. Eu nunca esperei reciprocidade por parte do PT. Defendi uma mulher que não tinha cometido nenhum crime de responsabilidade, porque a pedalada fiscal, Lula tinha feito, Fernando Henrique tinha feito. Aquilo foi uma articulação para derrubar a presidente e ponto".

"Tenho Lula no coração"

Após concentrar em Humberto Costa a responsabilidade pela articulação que inviabilizou a candidatura de Marília Arraes a governadora, Silvio Costa avisa: "Agora, eu não vou disputar com seu Humberto Costa quem é o candidato de Lula, quem não é o candidato de Lula. Sei de uma coisa: 'Tenho Lula no meu coração'".

Hiato > Ainda que tenha aprovado, ontem, a abertura de processo disciplinar contra prefeito Luciano Duque, a executiva estadual da legenda não levou ao debate o caso de Marília Arraes, que já declarou não ter condição de fazer campanha para Humberto Costa.

Expectativa > Presidente do PT-PE, Bruno Ribeiro pondera: "Ainda não tratamos dessa hipótese. Espero que ela tenha uma posição melhor". Marília declarou voto em Silvio Costa.

Susto > O posicionamento de Duque, ao declarar apoio a Armando Monteiro, causou surpresa e, segundo documento da direção estadual, representou "grave indisciplina estatutária".

Menos seis > A primeira sessão ordinária da Alepe, ontem, presidida por Álvaro Porto, eleito há um mês quarto-secretário, foi regada a bom humor. Romário Dias ocupou a tribuna para afirmar que Porto só não terá 100% dos votos de Canhotinho porque “uns seis” serão destinados a ele. Deu-se uma gargalhada geral.

Reforço > Líder do PSC, o vereador Renato Antunes é um dos coordenadores da campanha de André Ferreira e Manoel Ferreira na Capital. Há quem diga que, em 2020, ele deve ser o candidato oficial da família, no Recife .

Veja também

Ao saber do resultado, Bolsonaro diz que perguntou a Queiroga se iria usar 'outro medicamento'
COVID-19

Ao saber do resultado, Bolsonaro diz que perguntou a Queiroga se iria usar 'outro medicamento'

Bolsonaro diz que Forças Armadas não cumpririam suas eventuais ordens absurdas
Bolsonaro

Bolsonaro diz que Forças Armadas não cumpririam suas eventuais ordens absurdas