A-A+

CPI

Sindicato acusa Prevent Senior de forçar médicos a falar que receitaram cloroquina por conta própria

Procurada, a Prevent Senior nega as denúncias

Edifício da Prevent SeniorEdifício da Prevent Senior - Foto: Divulgaão/Prevent Senior

O Sindicato dos Médicos do Estado de SP (Simesp) afirma que recebeu denúncias informando que a operadora de plano de saúde Prevent Senior está coagindo médicos a assinarem documento no qual atestam que receitaram o "kit Covid" (medicamentos sem eficácia comprovada contra o novo coronavírus) a pacientes por espontânea vontade.

"Isso configura uma 'declaração individual' dos médicos como se não houvesse qualquer determinação da Prevent Senior, em uma tentativa de eximir a instituição de sua responsabilidade - uma flagrante ação de fraude", afirma o sindicato em carta aberta.

"Como é de conhecimento público, está ocorrendo uma CPI para investigar a forma com que o governo federal vem gerindo a pandemia do coronavírus no país. Durante as investigações, o Sindicato dos Médicos de São Paulo recebeu denúncias de que os médicos que trabalham para a Prevent Senior estavam sendo obrigados a receitarem o 'kit Covid', sem qualquer autonomia e poder de decisão que o médico possui, o que contraria o Código de Ética Médica", aponta a entidade.
 


"[No dia 16 deste mês] houve um novo capítulo da Prevent Senior com a CPI ao ser divulgado um dossiê o qual informa que a empresa administrou o 'kit Covid' sem autorização e ciência dos pacientes. De acordo com o documento, nove pacientes morreram e cerca 700 foram cobaias nos testes realizados pela Prevent Senior, em evidente conluio com o Governo Federal. São graves denúncias de possíveis crimes contra a humanidade e compreendemos que tal política de morte não coaduna com o papel social do médico."

"Segundo denúncias feitas ao Simesp, os profissionais associados à Prevent Senior estão sendo coagidos a assinarem um documento atestando que, caso tenham receitado 'kit Covid', foi por sua livre e espontânea vontade", diz o Simesp.

Procurada, a Prevent Senior afirma que "sempre respeitou a autonomia médica e jamais obrigaria seus profissionais a tomar um posicionamento clínico contrário a suas avaliações profissionais".

"Mais uma vez, a Prevent Senior nega e repudia denúncias sistemáticas, mentirosas levadas anonimamente à CPI da Covid e à imprensa. Por isso, a empresa pediu nesta segunda-feira (20) que a Procuradoria Geral da República investigue as denúncias infundadas e anônimas levadas à CPI por um suposto grupo de médicos", segue a empresa.

Veja também

Anderson vai a Olinda e diz que emprego é prioridade para o Estado
CARLOS BRITTO

Anderson vai a Olinda e diz que emprego é prioridade para o Estado

Pacheco acerta filiação ao PSD, 1º passo rumo a possível candidatura à Presidência
ELEIÇÕES 2022

Pacheco acerta filiação ao PSD, 1º passo rumo a possível candidatura à Presidência