Sob custódia policial, Garotinho passa por cirurgia para desobstruir artéria

Garotinho foi preso na última quarta por suspeita de compra de votos em Campos dos Goytacazes, investigada pela Operação Chequinho

Germana Laureano é procuradora geral do MPCOGermana Laureano é procuradora geral do MPCO - Foto: Divulgação

O ex-governador do Rio Anthony Garotinho (PR) foi submetido a uma cirurgia cardíaca na manhã deste domingo (20). Ele está sob custódia no hospital Quinta D'Or, para onde foi levado na madrugada de sábado (19) por determinação de Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Garotinho foi preso na quarta (16) por suspeita de compra de votos em Campos dos Goytacazes, investigada pela Operação Chequinho.

Após passar mal, ele foi levado ao Hospital Municipal Souza Aguiar, mas foi encaminhado na noite de quinta (17) ao Complexo Penitenciário Gericinó, em Bangu, por determinação do juiz Glaucenir de Oliveira, da 100ª Zona Eleitoral, de Campos.

Os exames feitos no Quinta D'Or identificaram uma obstrução em ramo da coronária direita. Na cirurgia, a artéria foi desobstruída e Garotinho recebeu um stent (prótese colocada na artéria para evitar nova obstrução).

Segundo o hospital, seu estado de saúde após a cirurgia é estável.

De acordo com a decisão da juíza Luciana Lóssio, do TSE, Garotinho seguirá para prisão domiciliar quando deixar o hospital.

Ele é acusado de usar o programa social Cheque Cidadão para comprar votos para aliados em Campos, seu berço político.

Neste sábado, a Procuradoria Regional Eleitoral do Rio acusou o ex-governador de tentar subornar o juiz Glaucenir de Oliveira para evitar a prisão. Sua defesa nega.

Veja também

Em Solidão acaba o sonho da candidatura única
Carlos Britto

Em Solidão acaba o sonho da candidatura única

A estratégia equivocada de Mendonça no Recife
Edmar Lyra

A estratégia equivocada de Mendonça no Recife