Sobre PT na PCR, Bruno diz: Não há discussão pactuando 2020”

“Nem o PSB tem pedido, nem nós aceitaríamos"

Bruno Ribeiro e Renata Bezerra de MeloBruno Ribeiro e Renata Bezerra de Melo - Foto: Brenda Alcântara/Folha de Pernambuco

Presidente estadual do PT, Bruno Ribeiro confirma que o debate sobre a participação do partido na Prefeitura do Recife "está sendo travado dentro do PT e no PSB". Nos últimos seis anos, recorda o dirigente, as duas siglas estiveram separadas, mas, na análise dele, foram mais fortes nos momentos em que estiveram juntas em Pernambuco e no Brasil. Nas duas últimas eleições para o executivo na Capital, no entanto, concorreram entre si. "Inclusive, fomos ao 2º turno com nosso, hoje, camarada João Paulo (filiado, agora, ao PCdoB). Então, não é uma coisa tão simples. Por isso essa discussão", argumenta Bruno. E, logo, assegura: "Nem o PSB, nas conversas, tem pedido, nem nós aceitaríamos discutir 2020 quando há participação em algum espaço de governo. E se, porventura, se consolidar na prefeitura, não está havendo nenhuma discussão preliminar pactuando 2020". A despeito de parlamentares seguirem ecoando, nas coxias, que a ida do PT para a gestão Geraldo Julio representaria uma pá de cal sobre uma possível candidatura de Marília Arraes ao executivo municipal, o presidente do PT reage: "Não é justo com Marília que nunca se colocou como candidata à prefeita". E reforça: "A discussão sobre 2020 se dará no momento próprio, não só em Recife, mas nas 184 prefeituras do Estado". Bruno arremata: "O bastidor pode dizer o que bem entender. O presidente do partido está assegurando que, nem no Estado nem na prefeitura, não passa pelo debate essa questão. Para ser justo, nem o PSB apresenta, nem nós aceitaríamos".

Poucos consensos
"Hoje, a Assembleia só tem consenso para presidência". A observação é do deputado estadual Henrique Queiroz e ele faz a consideração à coluna a três dias da disputa para Mesa Diretora.
Bloco > Henrique Queiroz, inclusive, foi à mesa, ontem, com o deputado Romero Leão, do PR. Formalizaram a entrada de Fabrizio Ferraz no bloco, que terá Leão e Henrique Queiroz Filho.
Aberta > A formação do bloco foi a porta para que o bloco de três parlamentares concorra à terceira secretaria. Rogério Leão pretende disputar, segundo Henrique Queiroz. "Fechamos o bloco hoje (ontem)", assinala Queiroz.
Costura 1 > Até então, para a terceira secretaria, só havia sido colocado o nome da deputada Teresa Leitão. Ainda ontem, Teresa conversou com Henrique Filho sobre o assunto.
Costura 2 > Uma conversa dela com Romero Leão se deu há mais tempo, no ano passado. "Conversar não significa compromisso", pondera Teresa, que segue para o quinto mandato.
Vai ter... > Em relação à segunda secretaria, a questão está entre Cleiton Collins e Claudiano Martins. Na Alepe, fala-se em bate-chapa. O presidente estadual do PP, Eduardo da Fonte, descarta.
...rodízio > À coluna, Eduardo assegura: "Está pacificado". Pelo entendimento que se deu, segundo ele, Cleiton ficará à frente da segunda secretaria no primeiro biênio e Claudiano no segundo.
Em curso > Como a coluna antecipou, o deputado Romário Dias entrou na corrida pela segunda vice-presidência e esteve reunido, ontem, com parlamentares para tratar do assunto.
Concorrência > À primeira vice, concorrem Simone Santana e Aglailson Victor e à primeira secretaria, Isaltino Nascimento, Clodoaldo Magalhães e Francismar Pontes. Até a quarta secretaria foi citada ontem como passível de "embate interno".

 

Veja também

Maia vê Baleia à frente de Lira, mas admite traição de um terço do seu partido na eleição da Câmara
Congresso

Maia vê Baleia à frente de Lira, mas admite traição de um terço do seu partido na eleição da Câmara

Doria chama Bolsonaro de oportunista por surfar a Coronavac
Vacina

Doria chama Bolsonaro de oportunista por surfar a Coronavac