"Sou a favor porque não altera nada", diz novo ministro sobre reforma trabalhista

De acordo com o novo ministro, que toma posse nesta terça (10), a legislação está em constante desenvolvimento e precisa ser aperfeiçoada

Caio Luiz de Almeida Vieira de Mello, ministro do TrabalhoCaio Luiz de Almeida Vieira de Mello, ministro do Trabalho - Foto: Reprodução/Internet

Escolhido nesta segunda-feira (9) pelo presidente Michel Temer para comandar o Ministério do Trabalho, Caio Vieira de Mello afirmou que é a favor da reforma trabalhista, uma das principais bandeiras do atual governo.

"Sou a favor porque não altera nada", respondeu ao ser questionado sobre o tema. De acordo com o novo ministro, que toma posse nesta terça (10), a legislação está em constante desenvolvimento e precisa ser aperfeiçoada. Ele defende ainda a paz social e harmonia entre o trabalhador e o empregador.

"Não há empresa sem empregado e nem empregado sem empresa", disse. Ele contou à reportagem ter sido convidado na noite de domingo (8) por assessores de Temer para uma conversa nesta segunda.

Ele disse ter tido um encontro ameno e técnico com o emedebista. "Podemos fazer alguma cosia para o desenvolvimento da política de emprego", disse o novo ministro sobre sua indicação, que classificou como muito importante por seus 50 anos de carreira.

O nome do novo titular foi anunciado no fim da tarde desta segunda pelo Palácio do Planalto depois de o ex-ministro Helton Yomura ter sido afastado do cargo por determinação da Justiça na última quinta-feira (5).

De acordo com assessores palacianos, Vieira é uma indicação pessoal de Temer.
O novo ministro esteve com o presidente no Planalto na tarde desta segunda acompanhado do presidente da CNI, Robson Andrade. Para o empresário, a escolha do titular é "excelente" por ele ser um nome que representa o equilíbrio entre o interesse do empresariado e dos sindicatos dos trabalhadores.

Veja também

Embate por competência para investigar presidente amplia racha na Procuradoria
MINISTÉRIO PÚBLICO

Embate por competência para investigar presidente amplia racha na Procuradoria

Comando do PSL, que apoia candidato de Maia, vê debandada pró-Lira
CÂMARA

Comando do PSL, que apoia candidato de Maia, vê debandada pró-Lira