STF julgará em março validade do auxílio-moradia para juízes

De acordo com a Advocacia-Geral da União, o custo anual do auxílio é de aproximadamente R$ 435 milhões

Trinta associações e sindicatos patronais de construtoras e imobiliárias assinaram o manifesto Trinta associações e sindicatos patronais de construtoras e imobiliárias assinaram o manifesto  - Foto: Alfeu Tavares/Folha de Pernambuco

A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, marcou para o dia 22 de março o julgamento de mérito das liminares que garantiram o pagamento de auxílio-moradia a todos os magistrados do país, incluindo juízes federais, da Justiça Trabalhista, da Justiça Militar e estaduais. O pagamento foi liberado em 2014 pelo ministro Luiz Fux.

Leia também:
STF deve restringir uso de auxílio-moradia por juízes
Maia diz que Congresso vai discutir 'excessos' em auxílio-moradia
Entidade de juízes pede para STF retirar da pauta auxílio-moradia


Ao deferir duas liminares, Fux determinou que os tribunais fossem notificados para iniciarem o pagamento do benefício, atualmente de R$ 4,3 mil, por entender que o auxílio-moradia está previsto na Lei Orgânica da Magistratura (Loman - Lei Complementar 35/1979).

De acordo com a Advocacia-Geral da União (AGU), o custo anual do auxílio é de aproximadamente R$ 435 milhões. O caso chegou ao Supremo por meio de ações de alguns magistrados e a Associação dos Juízes Federais (Ajufe). Todos alegaram que o auxílio-moradia está previsto pela Loman, mas o pagamento não era cumprido.

Veja também

Ministério da Saúde abre consulta pública sobre diretrizes para esclerose múltipla
Saúde

Ministério da Saúde abre consulta pública sobre diretrizes para esclerose múltipla

Ricardo Teobaldo fortalece Podemos nas eleições municipais
Edmar Lyra

Ricardo Teobaldo fortalece Podemos nas eleições municipais