STF rejeita primeiro pedido de liberdade de Lula

Colegiado julga ainda hoje outro pedido de habeas corpus

Luiz Inacio Lula da SilvaLuiz Inacio Lula da Silva - Foto: Nelson Almeida//AFP

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu nesta terça-feira (25) negar pedido feito pela defesa de Luiz Inácio da Silva para soltar o ex-presidente. O caso envolve a condenação no caso do tríplex do Guarujá, um dos processos oriundos da Operação Lava Jato. Esta foi a primeira decisão de hoje envolvendo o ex-presidente. Em seguida, o colegiado vai julgar outro pedido de habeas corpus.

Por 4 votos a 1, a turma decidiu manter a decisão individual do ministro Edson Fachin, relator do caso, que rejeitou o pedido de anulação do processo e a concessão de liberdade ao ex-presidente.

Acompanharam o relator os ministros Gilmar Mendes, Celso de Mello e Cármen Lúcia. Ricardo Lewandowski entendeu que os advogados de Lula não conseguiram apresentar sua defesa corretamente e determinou o julgamento do recurso pelo colegiado do STJ.

Leia também:
Gilmar defende soltura de Lula, e Supremo inicia julgamento
Lula pede que sua defesa insista para STF julgar parcialidade de Moro nesta terça

No habeas corpus, os advogados alegaram suposta imparcialidade do então juiz Sergio Moro para julgar o caso do tríplex do Guarujá e ilegalidades na decisão do ministro Félix Fischer, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que também rejeitou o pedido de revisão da pena.

Lula está preso desde 7 de abril do ano passado na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, após ter sua condenação confirmada pelo Tribunal Regional Federal 4ª Região (TRF4), que impôs pena de 12 anos e um mês de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do tríplex do Guarujá (SP). Em abril, a pena foi reduzida pelo STJ para oito anos e dez meses de prisão.

Veja também

Alvo de investigações, Ricado Salles pede demissão do governo
Meio Ambiente

Alvo de investigações, Ricado Salles pede demissão do governo

Com ressalvas, TCE aprova contas de Doria e cobra transparência em gastos com CoronaVac
São Paulo

Com ressalvas, TCE aprova contas de Doria e cobra transparência em gastos com CoronaVac