STF retoma julgamento sobre prisão em 2ª instância que pode beneficiar Lula; assista ao vivo

O Supremo está dividido: há ministros que defendem a prisão em segunda instância e ministros que entendem que é preciso esperar o trânsito em julgado

Supremo Tribunal FederalSupremo Tribunal Federal - Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O Supremo Tribunal Federal retomou na manhã desta quarta-feira (23) o julgamento da constitucionalidade da prisão de condenados em segunda instância.

A sessão teve início com as sustentações orais de dois "amici curiae" (amigos da corte, em latim), da AGU (Advocacia-Geral da União) e da PGR (Procuradoria-Geral da República).

Leia também:
STF condena Geddel a 14 anos de prisão no caso do bunker com R$ 51 mi
Novo PGR cancela sessão em conselho para tentar indicar corregedor militar

Assista à sessão: 


Em seguida, é a vez do relator das ações sobre o tema, ministro Marco Aurélio, ler seu voto. Ele é um dos mais ferrenhos defensores da tese de que a Constituição exige que se esgotem todos os recursos antes da execução da pena de um condenado, entendimento que pode beneficiar o ex-presidente Lula, preso em Curitiba desde abril de 2018.

Como nas vezes anteriores que abordou o tema, o Supremo está dividido: há ministros que defendem a prisão em segunda instância e ministros que entendem que é preciso esperar o trânsito em julgado (quando se esgotam os recursos).

Há ainda uma proposta intermediária feita em 2016 por Dias Toffoli, hoje presidente do STF, para permitir a execução da pena após o julgamento do recurso no STJ (Superior Tribunal de Justiça), que é considerado uma terceira instância.

A ideia de Toffoli não afetaria o caso de Lula, que foi condenado pelo STJ em abril deste ano. Essa possibilidade, contudo, tem perdido apoio entre integrantes do Supremo.

Veja também

Congresso fará aperfeiçoamento da reforma administrativa, diz ministro
Política

Congresso fará aperfeiçoamento da reforma administrativa, diz ministro

Bolsonaro diz que visita de secretário de Estado mostra alinhamento com os EUA por 'bem comum'
Política

Bolsonaro diz que visita de secretário de Estado mostra alinhamento com os EUA por 'bem comum'