Suspeito de agredir homem no Instituto Lula foi vereador do PT

Segundo o delegado titular da 17º DP, Wilson Roberto Zampieri, o principal suspeito de agredir Bettoni é o político Manoel Eduardo Marinho, conhecido como Maninho do PT

Confusão no Instituto LulaConfusão no Instituto Lula - Foto: Miguel Schincariol / AFP

A polícia identificou dois suspeitos de agredirem um homem próximo ao Instituto Lula, em São Paulo, em uma confusão na noite desta quinta-feira (5), após a ordem de prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

A vítima, o administrador Carlos Alberto Bettoni, de 56 anos, teve traumatismo craniano e foi levado ao Hospital São Camilo, no Ipiranga (zona sul), onde passou por cirurgia e segue internado.

Segundo o delegado titular da 17º DP, Wilson Roberto Zampieri, o principal suspeito de agredir Bettoni é o político Manoel Eduardo Marinho, conhecido como Maninho do PT, que foi vereador e candidato a prefeito de Diadema pelo partido. O segundo suspeito identificado é o filho do político, Leandro Eduardo Marinho.

Leia também:
Veja as manifestações de apoio a Lula pelo mundo
Defesa de Lula entra com novo recurso no STF
Manifestantes defendem Lula em capitais brasileiras; veja fotos
Lula participa de missa para Marisa Letícia neste sábado, diz direção nacional do PT


Na noite de quinta, Bettoni teria aguardado a saída de petistas do instituto e interrompido uma entrevista do líder do PT no Senado, Lindbergh Farias (RJ), aos gritos de "viado e filho da puta".

"Vem apanhar aqui seu filho da puta. Vai ser reeleito aqui, seu viado?", disse o manifestante, contrário ao ex-presidente. Irritado, Lindbergh se dirigiu ao homem de forma desafiadora. Apoiadores de Lula afastaram o manifestante com empurrões e chutes.

Segundo a polícia, Manoel Eduardo Marinho teria dado o último empurrão, que derrubou o manifestante. Na queda, Bettoni bateu a cabeça no para-choque de um caminhão e caiu na rua, ensanguentado. Após um período desacordado, foi levado até o hospital para atendimento.

A polícia investiga a participação de um terceiro agressor, ainda não identificado.
Os três vão ser indiciados por lesão corporal dolosa. "O último empurrão foi desferido pelo Maninho do PT, isso fez com que a vítima batesse a cabeça no caminhão, o que demonstra a intenção de agredir mesmo", afirmou o delegado. "Dependendo da gravidade da lesão, a pena pode variar de um a oito anos de prisão", diz.

A reportagem procurou a Câmara de Diadema e o PT, mas não teve resposta.

Veja também

Marcos Pontes participa de evento sobre pesquisa da nitazoxanida
Saúde

Marcos Pontes participa de evento sobre pesquisa da nitazoxanida

YouTube bloqueia vídeo de campanha de Russomanno por desrespeitar direitos autorais da Fifa
SÃO PAULO

YouTube bloqueia vídeo de Russomanno com imagens da Fifa