TCE bloqueia verba liberada para o Cabo

O gestor tem cinco dias corridos para dizer o que fará com os recursos.

O estudante Estênio Ferreira busca agora conseguir recursos para custear as despesas na missão internacionalO estudante Estênio Ferreira busca agora conseguir recursos para custear as despesas na missão internacional - Foto: Divulgação

 

Um dia após o Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF5) liberar R$ 56 milhões ao Cabo de Santo Agostinho, na Região Metropolitana de Recife, referente ao extinto Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef), o Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco (TCE-PE) deferiu, on­tem, medida cautelar apresentada pelo Ministério Público de Contas (MPCO), determinando o bloqueio dos recursos até nova decisão do Tribunal. O órgão estaria preocupado com a destinação de verbas por parte do atual prefeito, Vado da Farmácia (Sem partido), a 30 dias do final do mandato. O gestor tem cinco dias corridos para dizer o que fará com os recursos.
Caso o TCE-PE detecte má utilização dos recursos, Vado poderá ter as contas rejeitadas e, consequentemente, ser enquadrado na Lei de Ficha Limpa, se tornar inelegível e ter de pagar multa. A reportagem não conseguiu contactar o prefeito.

 

Veja também

Embaixador de Israel cobra compromisso com verdade histórica sobre o nazismo de governadora de SC
santa catarina

Embaixador de Israel cobra compromisso com verdade histórica sobre o nazismo de governadora de SC

Deputado do PT pede afastamento de Salles por quebra de decoro após ofensa a Rodrigo Maia
política

Deputado do PT pede afastamento de Salles por quebra de decoro após ofensa a Rodrigo Maia