Temer assina decreto de intervenção das Forças Armadas na segurança do Rio

O presidente fará um pronunciamento em cadeia nacional de rádio e TV à noite explicando os motivos da intervenção

Presidente Michel TemerPresidente Michel Temer - Foto: Beto Barata / PR

Michel Temer e assessores acertam os detalhes do decreto de intervenção na segurança pública do estado do Rio de Janeiro na manhã desta sexta-feira (16). O decreto será assinado pelo presidente Temer no início da tarde, no Palácio do Planalto, de acordo com a Secretaria de Imprensa da Presidência da República.

O presidente Temer fará às 20h30 um pronunciamento em cadeia nacional de rádio e TV para explicar à população os motivos que levaram à intervenção no Rio de Janeiro e detalhes do decreto. O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, retorna do Rio de Janeiro para Brasília para participar de reunião no Planalto que deve ter também a presença de ministros e parlamentares.

Desde o início desta manhã, a cúpula do Exército está reunida em Brasília discutindo detalhes da intervenção. Com a medida, o comando das forças de segurança pública do Rio de Janeiro ficará a cargo do Exército. Entre os participantes da reunião está o comandante militar do Leste, general Walter Souza Braga Netto, convocado às pressas pelo comandante do Exército, general Eduardo Dias da Costa Villas Bôas.

Leia também:
Pedidos anteriores de intervenção federal no DF e ES foram barrados
Intervenção no Rio altera tramitação da reforma da Previdência na Câmara
'Dura e extrema', diz Rodrigo Maia sobre intervenção no Rio de Janeiro
Governo trabalha no texto do decreto de intervenção no Rio de Janeiro


Na noite da quinta-feira (15), Temer recebeu Pezão no Palácio do Jaburu, além de ministros das áreas de política e de segurança e os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Eunício Oliveira. Na reunião, que durou quase cinco horas, foi discutida a intervenção na segurança pública do Rio de Janeiro e a criação do Ministério da Segurança Pública.

Mais cedo, Rodrigo Maia confirmou, em entrevista a jornalistas, a intervenção do governo federal na segurança do Rio de Janeiro. Segundo ele, o decreto irá direto ao plenário da Câmara e pode ser votado na segunda-feira (19) à noite ou na terça-feira de manhã. Em seguida, será apreciado pelos senadores.

Veja também

Promulgação da PEC dos Precatórios será fatiada, diz Arthur LiraPrecatórios

Promulgação da PEC dos Precatórios será fatiada, diz Arthur Lira

Fachin arquiva inquérito contra senador do MDB e ministro do TCU no caso JBSSTF

Fachin arquiva inquérito contra senador do MDB e ministro do TCU no caso JBS