Temer desembarca na China para visita de Estado e cúpula do Brics

Presidente chegou em Pequim, onde terá reuniões com o presidente Xi Jinping e investidores chineses, antes de participar da 9ª Cúpula do Brics

Temer chega à ChinaTemer chega à China - Foto: reprodução/twitter

O presidente Michel Temer desembarcou na manhã desta quinta-feira (31) por volta das 9h50 (22h50 de quarta-feira no horário de Brasília) em Pequim, na China, onde terá reuniões com o presidente Xi Jinping e investidores chineses. Esta agenda acontece antes Temer participar da 9ª Cúpula do Brics (grupo formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), entre 3 e 5 de setembro, na cidade chinesa de Xiamen.

O presidente vai apresentar às autoridades e empresários chineses o pacote de concessões e privatizações de aeroportos, portos, rodovias e linhas de transmissão lançado na semana passada pelo governo, que inclui a venda de parte da Eletrobras.

Nesta quinta-feira, Temer terá reuniões com os presidentes das gigantes do setor elétrico State Grid Corporation of China e China Three Gorges Corporation, da empresa de telecomunicações Huawei e do grupo empresarial HNA.

Visita de Estado
Na visita de Estado desta sexta-feira (1º), além do presidente Xi, Temer terá encontros com o primeiro-ministro Li Keqiang e com o presidente da Conferência Consultiva Política do Povo Chinês, Yu Zhengsheng. Segundo o Ministério das Relações Exteriores brasileiro, a visita ocorre a convite do presidente Xi Jinping e reflete o compromisso dos países com o aprofundamento de sua parceria estratégica. “Na ocasião, deverão ser debatidas medidas, entre outras, para a diversificação do comércio bilateral e a realização de novos investimentos chineses no Brasil, bem como ações de cooperação cultural e consular”, informa, por meio de nota, o Itamaraty.

No sábado (2), Temer participará em Pequim de seminário sobre oportunidades de investimentos, quando apresentará a empresários chineses a agenda de reformas e os projetos de concessões e privatizações do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI).

A China é o maior parceiro comercial do Brasil desde 2009. Em 2016, o intercâmbio bilateral alcançou US$ 58,5 bilhões, sendo que as exportações do Brasil para a China totalizaram US$ 35,13 bilhões com um superávit brasileiro de US$ 11,76 bilhões. Este ano, o país asiático comprou 25% de tudo o que foi exportado pelo Brasil. No ano passado, a China foi o terceiro maior investidor no Brasil atrás de Estados Unidos e Suíça com investimentos em setores estratégicos como infraestrutura e energia.

*A repórter viajou a convite do Centro de Imprensa China-América Latina e Caribe

Leia também:
A caminho da China, Temer se reúne em Lisboa com presidente de Portugal
Temer diz ter força necessária para resistir aos que querem parar o país
Com viagem de Temer à China, Maia assume interinamente a presidência do país

Veja também

Quem decide se um povo vai viver democracia ou ditadura são as Forças Armadas, diz Bolsonaro
Presidente

Quem decide se um povo vai viver democracia ou ditadura são as Forças Armadas, diz Bolsonaro

Maia diz que coragem de Bolsonaro não é tão grande para negar CoronaVac e que Pazuello fez papelão
Vacina contra Covid-19

Maia diz que coragem de Bolsonaro não é tão grande para negar CoronaVac e que Pazuello fez papelão