Temer discute com ministros do STF aumento de salário do Judiciário

No começo do mês, o Supremo aprovou reajuste de 16% no salário dos ministros da Corte, para 2019

"Teremos pouco mais de dois meses. Já estamos nos organizando com o livro da transição para o que foi feito e o que resta a fazer”, disse Temer"Teremos pouco mais de dois meses. Já estamos nos organizando com o livro da transição para o que foi feito e o que resta a fazer”, disse Temer - Foto: Wikimedia Commons / Reprodução

O presidente da República Michel Temer se reuniu nesta noite no Palácio da Alvorada com os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) Dias Toffoli e Luiz Fux para tratar dos “vencimentos do Judiciário”, segundo nota do Planalto.

No começo do mês, o Supremo aprovou reajuste de 16% no salário dos ministros da Corte, para 2019. O salário atual é de R$ 33,7 mil e com o aumento passará para R$ 39,3 mil por mês.

Leia também:
Aumento para ministros do STF teria impacto de R$ 4 bi, diz cálculo do Congresso


A despesa não está prevista pela Lei de Diretrizes Orçamentárias, já aprovada pelo Congresso Nacional. Até o dia 31de agosto, o governo deverá encaminhar ao Legislativo proposta para o Orçamento da União do próximo ano.

Conforme o Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, o eventual aumento terá impacto mensal de R$ 18,7 milhões (R$ 243,1 milhões em um ano).

Na reunião, ficou acertado que “técnicos do Executivo e do Judiciário se reunirão, a partir de amanhã, para discutir o assunto”.

Acompanharam Temer na reunião a ministra da AGU, Grace Mendonça, e o ministro dos Direitos Humanos e chefe da Secretaria de Assuntos Jurídicos da Casa Civil, Gustavo Rocha.

Veja também

China também precisa da gente, diz Bolsonaro em meio a impasse sobre insumos de vacinas
Coronavírus

China também precisa da gente, diz Bolsonaro em meio a impasse sobre insumos de vacinas

Em reunião com chanceler da Índia em novembro, Ernesto criticou globalismo, mas não falou de vacina
Coronavírus

Em reunião com chanceler da Índia em novembro, Ernesto criticou globalismo, mas não falou de vacina