Temer exonera ministros para evitar votos contra teto dos gastos

Suplentes dos ministros Fernando Coelho e Bruno Araújo estavam indecisos em relação à votação por causa da disputa política na Prefeitura do Recife

Praça do Carmo, OlindaPraça do Carmo, Olinda - Foto: Reproducão/ Google View

Para evitar votos contra o teto dos gastos públicos, o presidente Michel Temer exonerou nesta segunda-feira (10) os ministros Fernando Coelho (Minas e Energia) e Bruno Araújo (Cidades) para que eles reassumam suas cadeiras de deputados e votem pela aprovação da emenda constitucional que cria o limite de crescimento das despesas federais.

Os dois suplentes dos ministros, que estavam exercendo o mandato, estavam indecisos em relação à votação por causa da disputa política pela Prefeitura de Recife e sinalizavam que poderiam deixar de votar nesta segunda-feira. São eles: Creuza Pereira (PSB-PE) e Severino Ninho (PSB-PE).

Fernando Coelho e Bruno Araújo decidiram, então, acertar com o presidente Temer a exoneração para participarem da votação e, com isso, pouparem os dois deputados pernambucanos. O candidato de Creuza Pereira e Severino Ninho, o atual prefeito Geraldo Julio (PSB-PE), disputa o segundo turno da eleição municipal com o petista João Paulo.

Os ministros avisaram os dois parlamentares da exoneração com antecedência. Depois da votação, eles vão reassumir sues postos nos ministérios de Minas e Energia e Cidades.

O governo Temer acredita que já tem mais de 350 votos, acima dos 308 necessários, para aprovar a PEC (Proposta de Emenda Constitucional) que cria o teto dos gastos públicos. A votação está marcada para esta segunda.

Veja também

Mourão diz que posição do governo não é por uma Constituinte
Brasil

Mourão diz que posição do governo não é por uma Constituinte

TCU fará auditoria em órgãos públicos para avaliar combate ao assédio sexual
auditoria

TCU fará auditoria em órgãos públicos para avaliar combate ao assédio sexual