Temer repudia vandalismo em manifestação em Brasília

Em nota, ele ressalta que intolerância "não é forma democrática" e não pode ser "instrumento para pressionar" o Congresso Nacional

Fernando Haddad em Recife com Paulo Câmara Fernando Haddad em Recife com Paulo Câmara  - Foto: Arthur de Souza

O presidente Michel Temer repudiou os episódios de "vandalismo" e "destruição" durante protesto na Esplanada dos Ministérios nesta terça-feira (29).

Em nota, ele ressaltou que a intolerância "não é forma democrática" e não pode ser "instrumento para pressionar" o Congresso Nacional.

"O governo sempre esteve aberto ao diálogo e defende o direito às reivindicações. Mas jamais transigirá com atos de destruição do patrimônio público e privado", disse.

O presidente também lamentou os ataques feitos a veículos de imprensa. Um carro de uma emissora de televisão chegou a ser depredado e jornalistas foram hostilizados.

"A liberdade de imprensa é um valor central em nossa democracia. O presidente lembra que a mesma Constituição que garante a liberdade de manifestação, protege também a imprensa livre", afirmou.

Para o peemedebista, o país não pode ser palco de episódios que "disseminam o medo e a intimidação para as famílias e os cidadãos brasileiros".

Veja também

Geraldo Pinho Alves Filho quer trazer linha de metrô para Paulista
Eleições 2020

Geraldo Pinho Alves Filho quer trazer linha de metrô para Paulista

Em Casa Amarela, João manda recado e diz que não se resolve problemas da cidade no grito
Eleições 2020

Em Casa Amarela, João manda recado e diz que não se resolve problemas da cidade no grito