Tempo ficou curto em um debate só

De Geraldo para Daniel: “Ele pensa que o facebook dele é o jogo da verdade”

Polícia Federal- A lei é para todosPolícia Federal- A lei é para todos - Foto: Divulgação

Eles não esperaram nem o segundo bloco. No primeiro, ainda que com tema definido, a propósito, as farpas já foram arremessadas. Houve quem apostasse que o único debate de TV da campanha eleitoral no Recife, promovido pela Globo Nordeste, que deu-se a três dias do pleito, pudesse ser “engessado”. Mas não demorou para que os candidatos “lavassem a roupa suja” no ar. Se Geraldo Julio e João Paulo abriram o confronto, que resultou no petista lembrando que o socialista participou de sua gestão, Daniel deu prosseguimento, grifando que Geraldo aplicara R$ 26 milhões apenas no seu gabinete. Ao tachar de “inverdade”, o prefeito afirmou que o tucano custa o dobro, enquanto deputado federal, e provocou: “E olhe que é para fazer quase nada como deputado federal”. Tema espinhoso para o prefeito ao longo da campanha, o Uber foi introduzido pelo próprio. Por uma razão: Geraldo trazia, como carta na manga, o projeto, de autoria de Daniel Coelho, que versa sobre transporte escolar e transporte remunerado não licenciado. Ao expor o PL 5446/2016, Geraldo acusou o tucano de querer impor multa e punições ao transporte remunerado não licenciado, ainda que Daniel proponha regulamentar o Uber. Por dois blocos, Geraldo acabou isolado pelos concorrentes. Se Priscila e Daniel Coelho levantaram a bola um para o outro cortar, João Paulo cuidou de dirigir, praticamente, todas as suas perguntas à democrata, que não esperava. “Para mim foi surpresa”, observou ela. Teve pedido de direito de resposta de Daniel, que não foi atendido. Ele recomendou que o telespectador checasse mais informações em seu facebook. Geraldo, ao final, disse que esperava que o debate tivesse se restringido às propostas. O tempo parece ter ficado curto em um debate só.

De Geraldo para Daniel: “Ele pensa que o facebook dele é o jogo da verdade”

Geraldo opina
Indagado sobre o déficit de debates, ao final da gravação, Geraldo Julio, fez, à coluna, a seguinte avaliação: “Olha, a eleição foi mais curta. A decisão não é minha de fazer ou não fazer debate. São as emissoras de rádio e TV que fazem ou não fazem debate. O debate que fui convidado estou aqui”.

Mais um momento > O senhor considera que a quase ausência de debates é prejudicial ao pleito? Geraldo devolve: “É mais um momento importante da campanha. As visitas de rua, as atividades de rua, o programa de televisão, de rádio, o debate, entrevistas que a gente faz, acho que tudo é importante”, resume o gestor da Capital.

Na minha > Ainda que tenha acompanhado o prefeito durante o debate, o governador Paulo Câmara preferiu não dar entrevistas na saída. “Hoje é Geraldo”, avisou. Indagado se o candidato dele teria vencido o debate, o chefe do executivo estadual, bem-humorado, sapecou: “De lavada!”.

Expectativa > Ao ver as regras do debate, a equipe de Priscila Krause imaginou até que ela pudesse não ser tão perguntada, o que não seria positivo para a democrata, que já passou a campanha com pouco tempo de TV: 37 segundos. Mas, na hora H, João Paulo só queria perguntar a ela.

Realidade > João Paulo explica: “Preferi Priscila, que estava mais ponderada, mais equilibrada e eu tinha mais espaço para apresentar as minhas propostas”. Considerou que Geraldo estava “entrando em muitas contradições do que ele dizia por si mesmo”. E Daniel estava “muito raivoso”.

Astrologia > João Paulo, como de costume, tem hora certa para votar: às 14h18. Vai acompanhar o filho mais novo, Pedro Vinícius, que dará seu primeiro voto. O petista vota no IEP, em Santo Amaro.

DNA > Falecido em novembro de 2015, o ex prefeito de Belo Jardim e ex-deputado federal Arnaldo Maciel tem um herdeiro político no pleito deste ano, o neto André Maciel, que estreia entre os postulantes da nova safra. Concorre pelo PEN.


Veja também

MCTI anuncia nova estrutura de funcionamento do Inpe
inpe

MCTI anuncia nova estrutura de funcionamento do Inpe

Ministério da Defesa usa Lei de Segurança Nacional e Código Penal Militar contra Gilmar
governo

Ministério da Defesa usa Lei de Segurança Nacional e Código Penal Militar contra Gilmar