Tivemos uma avant-première do que serão fake news nas eleições, diz Raul Jungmann

"Tivemos uma avant-première do que serão as fake news nas eleições. Tivemos uma quantidade impressionante, quase infinita de notícias falsas publicadas nas redes sociais. Temos que nos precaver", disse o ministro da Segurança Pública

Raul JungmannRaul Jungmann - Foto: Anderson Stevens / Folha de Pernambuco

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, disse nesta quarta-feira (30) que a crise provocada pela mobilização de caminhoneiros serviu como mostra do que será que lidar com notícias falsas durante as eleições de outubro.

Leia também
“Fake news” não é invenção do revolucionário século XXI
Facebook anuncia programa contra 'fake news' no ano eleitoral


"Tivemos uma avant-première do que serão as fake news nas eleições. Tivemos uma quantidade impressionante, quase infinita de notícias falsas publicadas nas redes sociais. Temos que nos precaver", disse Jungmann.

O ministro também disse que será preciso aprender a conviver com o que chamou de "sindicalismo de rede", o surgimento lideranças pulverizadas, a partir das redes sociais, enquanto o governo negociava com o sindicalismo tradicional. "O movimento se propagou de maneira impressionante pelo país movido pelas redes sociais", afirmou Jungmann.

O ministro disse ainda que não é possível traçar um perfil daqueles que o governo tem chamado de infiltrados. Ele disse haver milícia, transportadores, distribuidores e sindicalistas. Segundo Jungmann além de Cade, Ministério Público e Polícia Federal, auditores do Ministério do Trabalho também estão investigando a prática de locaute, ou seja, a participação de empresas no movimento de paralisação, o que é proibido.

Veja também

CPI afirma que há culpados pelas 500 mil mortes e que, no depender da comissão, eles serão punidos
CPI da Covid

CPI afirma que há culpados pelas 500 mil mortes e que, no depender da comissão, eles serão punidos

Haddad chama Bolsonaro de verme e diz que Doria deveria pautar impeachment no PSDB
Política

Haddad chama Bolsonaro de verme e diz que Doria deveria pautar impeachment no PSDB