Toffoli defende mediação para um Judiciário eficiente e transparente

Ele avaliou como necessária a mudança de cultura para diminuir a judicialização excessiva

O presidente do STF, Dias Toffoli O presidente do STF, Dias Toffoli  - Foto: Fabio Pozzebom/Arquivo Agência Brasil

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, defendeu a mediação de conflitos como importante instrumento para o desenvolvimento de um Poder Judiciário mais eficiente e transparente. Ele avaliou como necessária a mudança de cultura para diminuir a judicialização excessiva.

“O Judiciário tem que se abrir. Assim, temos a nossa legitimidade e a nossa responsabilidade a partir do nosso agir eficiente e transparente”, disse nesta quarta-feira (26) na abertura do Seminário de Aproximação Institucional para Mediação Judicial, na sede do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Leia também:
"Democracia é jogo difícil de ser jogado", diz Toffoli
Toffoli sanciona lei que amplia licença paternidade para as Forças Armadas
Toffoli sanciona leis de proteção à família e de acesso à educação


Para o presidente do Conselho Federal da OAB, Claudio Lamachia, a mediação tem se mostrado instrumento efetivo de pacificação social. “Promove a solução e a prevenção de litígios, valendo-se dos princípios da simplicidade, economia processual, celeridade, flexibilidade”.

Segundo Lamachia, o aumento contínuo de processos nos tribunais comprova a elevada litigiosidade no país. “Entre 2009 e 2017, as ações judiciais tiveram crescimento de 31,9%. Dessa forma, o ano de 2017 terminou com um total de 80 milhões de processos em tramitação”.

Veja também

Maia vê Baleia à frente de Lira, mas admite traição de um terço do seu partido na eleição da Câmara
Congresso

Maia vê Baleia à frente de Lira, mas admite traição de um terço do seu partido na eleição da Câmara

Doria chama Bolsonaro de oportunista por surfar a Coronavac
Vacina

Doria chama Bolsonaro de oportunista por surfar a Coronavac