TRE do Rio mantém inelegibilidade do ex-prefeito Eduardo Paes

Com a decisão desta quarta-feira, o político permanece inelegível por oito anos e deverá pagar multa de R$ 106,4 mil

Eduardo Paes (DEM) é ex-prefeito do Rio de JaneiroEduardo Paes (DEM) é ex-prefeito do Rio de Janeiro - Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Rio de Janeiro manteve, nesta quarta-fera (21), a inelegibilidade do ex-prefeito do Rio de Janeiro Eduardo Paes e do deputado federal Pedro Paulo, ambos do MDB.

Por 4 votos a 3, os desembargadores rejeitaram recursos impetrados pelas defesas de Paes e Pedro Paulo contra decisão do tribunal de dezembro do ano passado. Os dois foram condenados por abuso de poder político e econômico e conduta vedada a agentes públicos nas eleições de 2016, quando Pedro Paulo concorreu à prefeitura do Rio, tentando suceder Paes no cargo.

Leia também:
TRE-RJ torna Eduardo Paes inelegível e ameaça sua candidatura em 2018
Fachin pede redistribuição de inquérito sobre Eduardo Paes


Em 11 de dezembro do ano passado, o TRE condenou por unanimidade o ex-prefeito e o deputado federal por causa do uso do Plano Estratégico Visão Rio 500, contratado e custeado pelo município, como plano de governo na campanha eleitoral nas últimas eleições.

Com a decisão desta quarta-feira, os dois políticos permanecem inelegíveis por oito anos e deverão pagar, cada um, multa de R$ 106,4 mil. O plenário do TRE-RJ rejeitou todas as alegações apresentadas pela defesa, entre elas a de suposta violação dos princípios do contraditório e da ampla defesa. Paes e Pedro Paulo ainda podem recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Veja também

Candidatos a prefeito na RMR repercutem decisão do TRE de proibir atos de rua
Eleições 2020

Candidatos a prefeito na RMR repercutem decisão do TRE de proibir atos de rua

Após queimadas, produtores rurais rejeitam estatuto para proteger Pantanal
Audiência Pública

Após queimadas, produtores rurais rejeitam estatuto para proteger Pantanal