Moro

Três detentos confessam assassinato de líderes do PCC envolvidos em atentado contra Moro

Os supostos assassinos foram isolados e devem responder por mais esses crimes

Sérgio MoroSérgio Moro - Foto: Lula Marques/ Agência Brasil

Três detentos assumiram a autoria dos assassinatos de Janeferson Aparecido Mariano Gomes, o Nefo, e Reginaldo Oliveira de Souza, o Rê, mortos a facadas nesta segunda-feira, 17, na Penitenciária Maurício Henrique Guimarães Pereira, a P2, em Presidente Venceslau (SP). Eles se entregaram à direção do presídio.

Os supostos assassinos foram isolados e devem responder por mais esses crimes. Segundo a Secretaria da Administração Penitenciária, uma investigação foi aberta para esclarecer as circunstâncias das mortes. Peritos estão no local analisando a cena do crime e em busca de material genético.

Nefo e Rê foram presos por suspeita de envolvimento no plano de atentado contra o senador Sérgio Moro (União-PR), ex-ministro da Justiça, o promotor Lincoln Gakiya, que há vinte anos investiga o Primeiro Comando da Capital (PCC), e outros agentes públicos. Eles eram réus na Operação Sequaz.

Uma fonte a par do caso informou que os assassinatos aconteceram depois ao almoço, durante o banho de sol. Nefo foi morto primeiro, no banheiro do presídio. Em seguida, Rê foi assassinado no pátio da penitenciária.

Como antecipou o repórter Marcelo Godoy, que revelou os assassinatos, os investigadores estão convictos de que as mortes foram encomendadas pelo comando do PCC. A motivação ainda será investigada. Desponta a hipótese de um "acerto de contas" pelo fracasso do plano de resgate de Marco Willians Herbas Camacho, o Marcola, e dos atentados contra autoridades.

Nefo e Rê faziam parte da célula autodenominada "Sintonia Restrita", que funciona como um centro de inteligência da facção
 

Veja também

PEC que anistia partidos só deve ser votada em agosto no Senado
PEC da Anistia

PEC que anistia partidos só deve ser votada em agosto no Senado

É preciso de mais mulheres no governo para que a gestão fique melhor, diz Lula
inclusão

É preciso de mais mulheres no governo para que a gestão fique melhor, diz Lula

Newsletter