TRF nega habeas corpus a Delúbio Soares

Defesa pediu que processo em que ex-tesoureiro do PT é acusado de fraude fosse remetido à Justiça Federal

Delúbio Soares, ex-tesoureiro do PTDelúbio Soares, ex-tesoureiro do PT - Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), sediado em Porto Alegre, negou nesta quarta-feira (23) pedido de habeas corpus feito pela defesa do ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares. A decisão foi proferida, por unanimidade, pela 8ª Turma do colegiado.

A defesa de Delúbio pediu que o processo em que o ex-tesoureiro do PT é acusado de fraude em um empréstimo realizado entre o pecuarista José Carlos Bumlai e o Banco Schahin fosse remetido à Justiça Federal em Santo André (SP). Os advogados negam as acusações, mas entendem que a questão não pode ser julgada pela 13ª Vara Federal em Curitiba, no âmbito da Operação Lava Jato, por não ter relação com a Petrobras.

Pela decisão da 8ª Turma, a incompetência da Justiça Federal em Curitiba deve ser analisada na apelação criminal, momento processual adequado.

Leia também:
Moro determina prisão do ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares
Sérgio Moro condena ex-tesoureiro do PT, Duque e Léo Pinheiro por fraude em licitação
Tesoureiro do PT teme eventual apreensão do passaporte de Lula


Em março do ano passado, Delúbio Soares foi condenado a cinco anos de prisão pelo ex-juiz Sérgio Moro na investigação da 27ª Fase da Lava Jato, que apurou a suspeita de fraude. Segundo o Ministério Público Federal (MPF), a dívida foi quitada por meio da contratação do Grupo Schahin para operação do navio-sonda Vitória 10.000. O contrato custou à Petrobras US$ 1,6 bilhão. A investigação apontou Delúbio como solicitante do empréstimo pelo PT.

Veja também

Cidadania recorre de decisão que barrou processo de expulsão de deputado que apalpou colega
Assédio

Cidadania recorre de decisão que barrou processo de expulsão de deputado que apalpou colega

CUT Pernambuco realiza carreata contra Bolsonaro, no sábado (23)
Impeachment

CUT Pernambuco realiza carreata contra Bolsonaro, no sábado (23)