TRF retira processo contra Paulo Preto da Lava Jato

Com a decisão, o ex-diretor não vai responder às acusações na 13ª Vara Federal em Curitiba

Paulo Preto, ex-diretor da DersaPaulo Preto, ex-diretor da Dersa - Foto: Arquivo/Agência Brasil

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região, sediado em Porto Alegre, decidiu que o ex-diretor da Dersa (Desenvolvimento Rodoviário S/A) Paulo Vieira de Souza, conhecido como Paulo Preto, deverá responder pelo crime de lavagem de dinheiro na Justiça Federal de São Paulo.

Com a decisão, o ex-diretor não vai responder às acusações na 13ª Vara Federal em Curitiba, juízo que comanda as investigações da Operação Lava Jato.

A decisão foi tomada nessa quarta-feira (2) pela 8ª Turma do TRF, responsável pelo julgamento dos recursos de investigados na operação. Por unanimidade, o colegiado aceitou pedido da defesa de Paulo Preto e entendeu que a 13ª Vara Federal não tem competência para julgar o caso, que não está relacionado com as investigações da Lava Jato.

Leia também:
Fachin manda soltar ex-gerente da Petrobras preso na Lava Jato
STF adia decisão sobre recurso que pode anular condenações da Lava Jato
Desembargador do TRF cassa decisão de Bretas e libera viagem de Temer a Oxford


Paulo Preto foi preso na 60ª fase da Operação Lava Jato, deflagrada em março, mas ganhou um habeas corpus em seguida. Nesta fase, a operação investiga um complexo esquema de lavagem de dinheiro de corrupção praticada com a Odebrecht. Paulo Preto é apontado como operador de supostos esquemas de corrupção em São Paulo. Pelos cálculos da procuradoria, as transações investigadas superam R$ 130 milhões.

Veja também

PGR pede que Supremo apure eventual crime de homofobia de Milton Ribeiro
Investigação

PGR pede que Supremo apure eventual crime de homofobia de Milton Ribeiro

Domingo marca o início oficial de campanha eleitoral. Confira a agenda dos candidatos a prefeito
blog da folha

Domingo marca o início oficial de campanha eleitoral. Confira a agenda dos candidatos a prefeito