TSE autoriza convenções partidárias virtuais para eleição deste ano

Ficou estabelecido que os partidos têm liberdade de estabelecer regras e escolher os procedimentos para a realização das convenções virtuais

Tribunal Superior EleitoralTribunal Superior Eleitoral - Foto: José Cruz/Arquivo Agência Brasil

O plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) autorizou nesta quinta (4), por unanimidade, a realização de modo virtual das convenções partidárias para a escolha dos candidatos nas eleições municipais deste ano, tendo em vista as recomendações de distanciamento social durante a pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

Pela decisão, ficou estabelecido que os partidos têm liberdade de estabelecer regras e escolher os procedimentos para a realização das convenções virtuais, desde que garantam ampla publicidade a todos os filiados e atendam a todas exigências da legislação eleitoral já em vigor. A flexibilização foi autorizada em resposta a duas consultas feitas por deputados federais e a uma terceira feita pelo partido Republicanos.

Leia também:
Congresso discutirá adiamento de eleições sem prorrogação de mandato
Mudança na data de eleições municipais só poderá acontecer até junho
TSE diz que tem condições de manter eleições de outubro


"No meu modo de ver, negar a adoção desse formato virtual no momento atual seria ignorar a realidade enfrentada no combate à doença. Na seara específica do processo eleitoral, seria inviabilizar essa etapa imprescindível à realização de eleições democráticas e transparentes", disse o relator das consultas, ministro Luis Felipe Salomão, que foi acompanhado por todos os outros seis ministros que compõem o TSE.

O tribunal formará um grupo de trabalho para estabelecer regras de envio virtual dos resultados das convenções para a Justiça Eleitoral. Uma norma sobre o tema deve ser votada ainda neste mês, segundo o presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso.

De acordo com a legislação eleitoral, as convenções, obrigatórias para a escolha dos candidatos, devem ser realizadas por todos os partidos entre 20 de julho e 5 de agosto,

Veja também

Ex-chefe da Secom de Bolsonaro culpa 'incompetência e ineficiência' por atraso em vacina
RESPONSABILIDADE

Ex-chefe da Secom de Bolsonaro culpa 'incompetência e ineficiência' por atraso em vacina

O histórico desafio da terceira via no Brasil
EDMAR LYRA

O histórico desafio da terceira via no Brasil