TSE concede direito de resposta a Bolsonaro em propaganda de Alckmin no rádio

Bolsonaro terá um minuto e 14 segundos durante o início do bloco diurno em um programa do tucano

Jair BolsonaroJair Bolsonaro - Foto: Paullo Allmeida

O ministro Luís Felipe Salomão, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) concedeu nesta quarta-feira (12) direito de resposta ao candidato a presidente Jair Bolsonaro (PSL) na propaganda de rádio do adversário Geraldo Alckmin (PSDB).

Bolsonaro
terá um minuto e 14 segundos durante o início do bloco diurno em um programa do tucano. Ele tem 36 horas para entregar o material com a resposta a Alckmin.

Leia também:
Campanha de Alckmin diz que Bolsonaro erra ao explorar facada


Os advogados de Bolsonaro foram ao TSE contestar a propaganda de rádio de Alckmin do dia 1º de setembro. Segundo a defesa, o programa usou frases de Bolsonaro durante entrevista ao "Jornal Nacional" fora do contexto, "utilizando montagem e trucagem, a fim de modificar o sentido das palavras". O resultado, de acordo com os advogados, é que a propaganda fez o eleitor acreditar que Bolsonaro "é contra os pobres", o que prejudicou sua honra.

O PSDB argumentou que não houve "falsidade perpetrada", pois o trecho reproduzido revela a própria voz de Bolsonaro falando sobre a "PEC das Domésticas" e sustentou que "a propaganda veiculada configura mera crítica política, não havendo qualquer ofensa a justificar o direito de resposta".

O Ministério Público Eleitoral se manifestou a favor de Bolsonaro. O ministro concordou que a frase foi reproduzida fora de contexto. Segundo Salomão, "a reprodução incompleta de um raciocínio feito por candidato é uma distorção, por omissão, de verdade sabida pelos próprios representados".

"Compulsando os autos, percebe-se que a referida propaganda se utilizou apenas de trecho da fala do representante, para, a final, apresentá-lo como alguém contrário à classe das empregadas domésticas e aos pobres", escreveu o magistrado.

"Em outras palavras, ao asserir que o representante votou contra a PEC das Domésticas, com o escopo de classificá-lo como pessoa contrária aos interesses dos pobres, mas, no entanto, abstraindo a própria explicação para o voto concedida na mesma entrevista, na verdade, segundo penso, os representados desfiguram o real contexto do episódio, deslustrando a veracidade da informação", acrescentou.

Veja também

Com apoio da oposição, manifestantes fazem carreatas por impeachment pelo país
Impeachment

Com apoio da oposição, manifestantes fazem carreatas por impeachment pelo país

Carreata no Recife pede impeachment de Bolsonaro e vacinação para todos
BLOG DA FOLHA

Carreata no Recife pede impeachment de Bolsonaro e vacinação para todos