TSE mantém ex-governador do DF Agnelo Queiroz inelegível por oito anos

Na mesma decisão, os ministros suspenderam a inelegibilidade que havia sido imposta também ao candidato a vice-governador Nelson Tadeu Filipelli (PMDB).

Ex-governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz Ex-governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz  - Foto: Elza Fiúza/ABr

Em decisão unânime, o plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu manter a inelegibilidade, por oito anos, do ex-governador do Distrito Federal Agnelo Queiroz (PT). A condenação foi imposta pelo Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal (TRE-DF) ao ex-gestor em uma ação de propaganda irregular durante a campanha de 2014, quando tentou a reeleição.

Na mesma decisão, em sessão ocorrida na noite dessa terça-feira (7), os ministros alteraram o acórdão do TRE e suspenderam a inelegibilidade que havia sido imposta também ao candidato a vice-governador, Nelson Tadeu Filipelli (PMDB).

O plenário do TSE decidiu também retirar multa de R$ 30 mil que Agnelo e Filipelli deveriam pagar. Na eleição de 2014, a chapa Agnelo-Filippelli não chegou ao segundo turno, que foi disputado por Rodrigo Rollemberg (PSB) e Jofran Frejat (PR).

Os ministros acompanharam o voto do relator do recurso, ministro Henrique Neves, que apontou abuso de poder político de Agnelo Queiroz. Neves considerou ser “de extrema gravidade a utilização de dinheiro público, ficando configurado o abuso do poder político com desproporcional gasto no primeiro semestre do ano das eleições”.

Veja também

Projeto classifica furto ou roubo de EPI como crime hediondo
Blog da Folha

Projeto classifica furto ou roubo de EPI como crime hediondo

Aras abre apuração contra Mendonça por usar Lei de Segurança para investigar opositores de Bolsonaro
Política

Aras abre apuração contra Mendonça por usar Lei de Segurança para investigar opositores de Bolsonaro