Filiação

'Tudo certo para ser um casamento em que seremos felizes para sempre', diz Bolsonaro sobre filiação

Presidente destaca que questões que estavam pendentes em alguns estados já foram acertadas

O presidente Jair BolsonaroO presidente Jair Bolsonaro - Foto: Michael M. Santiago/AFP

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quarta-feira que "está tudo certo" em relação a sua filiação ao PL. O partido informou na terça que a entrada será oficializada no dia 30 de novembro, o que foi confirmado por Bolsonaro agora. Segundo o presidente, questões que estavam pendentes em alguns estados já foram acertadas.

A filiação chegou a ser marcada para o dia 22, mas estava suspensa, segundo o próprio PL, após "uma intensa troca de mensagens na madrugada" no 14 de novembro. Bolsonaro se irritou com o fato de, em diversos estados, haver a perspectiva de alianças em 2022 com nomes de oposição, de partidos como PT e PSB.

Ao caminhar entre o Palácio do Planalto e a Câmara, onde receberia a Medalha Mérito Legislativo, ele foi questionado pela imprensa se havia dado certo com o PL. Bolsonaro respondeu:

— Tá tudo certo.

Na volta da Câmara para o Planalto, afirmou:

— Tudo certo para ser um casamento em que seremos felizes para sempre.

Ele disse que a filiação será no dia 30, a princípio pela manhã. Bolsonaro disse que a questão dos estados tinha sido resolvida:

— Acertamos São Paulo e alguns estados do Nordeste. No macro, foi tudo conversado com Valdemar (Costa Neto, presidente do PL). Sem problema. É uma pessoa conhecida por honrar a palavra. Da minha parte também. Temos tudo para realmente ajudar na política brasileira.

Questionado sobre que parlamentares gostaria de levar para o partido, respondeu:

— Quando se fala em eleição, o parlamentar, eu sempre fui assim, todo mundo tem isso, (pensa) mais no lado dele. Ele busca a reeleição dele. Logicamente quem quiser é bem-vindo, mas quem vai conversar sobre filiação de parlamentar é o próprio Valdemar ou alguém indicado por ele.

Bolsonaro também disse esperar que o Senado aprove a indicação do ex-advogado-geral da União André Mendonça para o Supremo Tribunal Federal (STF). O presidente da Comissão de Constituição e Justiça do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), vinha criando empecilhos, mas nesta quarta-feira anunciou que a sabatina de Mendonça será na semana que vem.

— Eu não mando para o Supremo ninguém. Quem decide é o Senado Federal. Encaminhamos a proposta, espero que vote e aprove nos próximos dias — disse Bolsonaro.

Veja também

Acomodação política rende semana de vitórias para BolsonaroGoverno

Acomodação política rende semana de vitórias para Bolsonaro

Alckmin é pressionado por aliados a desistir de ser vice de Lula e disputar Governo de SPEleições 2022

Alckmin é pressionado por aliados a desistir de ser vice de Lula e disputar Governo de SP