STF

Twitter, Instagram e YouTube bloqueiam páginas de Allan dos Santos e Terça Livre após decisão do STF

Santos é um dos principais alvos da investigação sobre as milícias digitais

Supremo Tribunal Federal Supremo Tribunal Federal  - Foto: Agência Brasil

O Twitter, o YouTube e o Instagram tiraram do ar as páginas do influenciador bolsonarista Allan do Santos e do seu site, o Terça Livre.

O bloqueio atende a uma decisão do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, no inquérito sobre a existência de milícias digitais que atacam as instituições e a democracia. A decisão é da semana passada.

A conta de Santos no Twitter havia sido bloqueada ainda na sexta (9). Desde terça (12), saíram do ar o canal do Terça Livre no YouTube e a página pessoal do influenciador no Instagram.

Santos é um dos principais alvos da investigação sobre as milícias digitais.

Como mostrou a coluna Painel, da Folha de S.Paulo os encontros do infuenciador com Jair Bolsonaro e o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) durante a viagem do presidente à Assembleia da ONU, em setembro, entraram na mira da Polícia Federal.

O influenciador também é investigado no inquérito das fake news.
Ele deixou o país após virar alvo dos inquéritos relatados por Moraes e, atualmente, mora nos EUA.

Veja também

Justiça Eleitoral recebe 28 mil registros de candidatura às eleições
Eleições 2022

Justiça Eleitoral recebe 28 mil registros de candidatura às eleições

Defesa de Gabriel Monteiro entra com recurso na Câmara Municipal
Rio de Janeiro

Defesa de Gabriel Monteiro entra com recurso na Câmara Municipal