PREFEITURA DE SÃO PAULO

Valdemar é pressionado a não liberar saída de Salles do PL

Ex-ministro deve se filiar ao recém-criado PDR

Valdemar Costa NetoValdemar Costa Neto - Foto: reprodução/Instagram

A menos de um ano da eleição municipal, cresce a pressão sobre o presidente do Partido Liberal (PL), Valdemar Costa Neto, em torno da pré-candidatura de Ricardo Salles à Prefeitura de São Paulo. Enquanto bolsonaristas ainda tentam mantê-lo na legenda, integrantes do chamado “PL raiz” articulam para impedir que o ex-ministro do Meio Ambiente saia do partido sem perder o mandato.

Em outubro, Valdemar deu sinal verde para Salles deixar o PL e disputar a prefeitura por outra legenda. Como mostrou O Globo, o acordo para uma carta branca foi costurado junto ao ex-presidente Jair Bolsonaro e tinha uma condição: Bolsonaro ser o responsável pela indicação da vice do prefeito Ricardo Nunes (MDB), o que minaria um possível apoio do ex-mandatário a Salles.

Na última terça-feira, Salles participou de uma reunião com Bolsonaro, Valdemar e dois apoiadores de sua candidatura, os deputados federais Mario Frias (PL-RJ) e Luciano Zucco (Republicanos-RS), para tratar do assunto. O ex-ministro vinha cobrando celeridade para sua carta de anuência, já que ele tem apalavrada sua filiação ao recém-criado PDR, resultado da fusão entre o PTB e o Patriota.

No encontro, que durou 40 minutos, Bolsonaro tentou convencer Valdemar a permitir que Salles disputasse a eleição pelo PL, segundo um participante ouvido pelo Globo. Para o ex-presidente, o aliado ganharia mais força com o peso da legenda, os recursos do fundo eleitoral e o tempo de TV.

Valdemar se mostrou relutante em ceder, de acordo com o relato, citando que uma candidatura bolsonarista não teria sucesso na capital, onde o eleitorado é mais progressista e deu vitória a Lula e Fernando Haddad na última eleição. O cacique sugeriu que um acordo fosse construído com o governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos).

Na avaliação de bolsonaristas, o gesto seria um meio de frear a alternativa da candidatura pelo PL, já que o governador é aliado de Nunes e desafeto de Salles. O próprio prefeito tem investido mais energia em consolidar o apoio de Tarcísio do que tentar atrair Bolsonaro para seu palanque.

Num evento de lançamento do PL60+, iniciativa da legenda para atrair eleitores idosos, realizado logo após a reunião para tratar de Salles, Bolsonaro reconheceu no palco que o partido tem tido problemas com as nominatas municipais, envolvendo disputas entre grupos numa mesma cidade.

— O Valdemar fala que eu mando no partido. Gostaria que fosse verdade, mas a palavra final é dele. Por vezes, eu engulo um candidato do Valdemar e ele engole um candidato meu — disse na ocasião.

"PL raiz" com Nunes
Correligionários de Valdemar consideram que é praticamente impossível o cacique abandonar o projeto de Nunes. Primeiro, porque o PL é base da gestão municipal, com duas subprefeituras (Campo Limpo e Butantã) mais a pasta do Verde e Meio Ambiente. Segundo, porque o presidente do PL não perdoou os ataques promovidos contra ele por Salles. Outro ponto é que a candidatura de Salles pelo PL deixaria Tarcísio e Bolsonaro em lados opostos na capital.

Enquanto Salles pressiona pela carta de desfiliação, integrantes do PL raiz tentam convencer Valdemar a voltar atrás da decisão. Para eles, o mandato pertence ao partido, e uma eventual saída descomplicada poderia atrapalhar a candidatura de Ricardo Nunes.

Essa ala do PL, que seria liderada pelo deputado federal Antonio Carlos Rodrigues, aliado de primeira ordem de Valdemar e líder da bancada paulista, defende que o cacique feche o cerco a Salles, obrigando ele a travar uma disputa na Justiça para seguir com o projeto eleitoral. O movimento, dizem, poderia trazer desgastes à candidatura do ex-ministro.

Ao GLOBO, Antônio Carlos Rodrigues diz que seu grupo político deve ficar com Nunes, de quem se diz amigo, independentemente de Salles sair candidato pelo PL ou outro partido.

— Vamos pedir autorização do diretório nacional para ficar com o Nunes. Se não der, vamos ficar neutros. Chance de apoiar o Salles é zero — afirmou.

Veja também

Relatório do Código Eleitoral deve ser apresentado até próxima semana
eleições

Relatório do Código Eleitoral deve ser apresentado até próxima semana

Relator da reforma do Código Eleitoral vai propor o fim da reeleição
REELEIÇÃO

Relator da reforma do Código Eleitoral vai propor o fim da reeleição