POLÍTICA

Vice presidente da Câmara consegue na Justiça direito a se desfiliar de partido de Bolsonaro

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, reconheceu a 'justa causa' e autorizou a desfiliação de Marcelo Ramos

Deputado federal Marcelo Ramos (PL-AM)Deputado federal Marcelo Ramos (PL-AM) - Foto: Câmara legislativa/Reprodução

O Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM) oficializou o pedido de desfiliação do  do vice-presidente da Câmara, deputado Marcelo Ramos, do PL. O parlamentar alegou que seria incompatível seguir no Partido Liberal após a filiação do presidente Jair Bolsonaro. Em nota, Ramos declarou nesta sexta-feira que só decidirá em qual agremiação se filiará a partir do mês de março.

“Comunico que, após liminar deferida pelo TSE, no último dia 10 o TRE-AM oficializou minha desfiliação do PL. Até o início de março anunciarei o partido ao qual me filiarei para disputar as eleições. Agora não é tempo de eleição, é tempo de toda energia para ajudar o Amazonas e o Brasil”, disse Marcelo Ramos.

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, reconheceu a "justa causa" e autorizou a desfiliação de Marcelo Ramos do PL, dia 21 de dezembro.
 

O vice- presidente da Câmara anunciou sua desfiliação no início de dezembro. Ele já tinha deixado claro que não permaneceria no mesmo partido que o presidente Bolsonaro.

O presidente do PL, Valdemar Costa Neto, não se opôs à saída do deputado. Em carta, ele concordou que a permanência de Ramos seria ''insustentável'' diante das divergências políticas e que causaria ''constrangimento de natureza política para ambas as partes''.

Veja também

Cassação de Arthur do Val é publicada no Diário Oficial de São Paulo
Arthur do Val

Cassação de Arthur do Val é publicada no Diário Oficial de São Paulo

STF rejeita dar prazo para Lira avaliar pedido de impeachment de Bolsonaro
Política

STF rejeita dar prazo para Lira avaliar pedido de impeachment de Bolsonaro