política

Vídeo mostra seguranças de Zema entrando em conflito com servidores durante manifestação

Manifestantes protestavam contra o reajuste de 3,62% proposto pelo governo às carreiras do Executivo estadual

Manifestantes estavam protestando pela recomposição de perdas inflacionárias Manifestantes estavam protestando pela recomposição de perdas inflacionárias  - Foto: Reprodução

Um vídeo publicado nas redes sociais mostra o momento em que seguranças da comitiva do governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), entram em conflito com servidores da área de segurança pública que protestavam nesta segunda-feira.

As imagens, compartilhadas pelo portal O Tempo, mostram o momento em que os manifestantes, tentaram bloquear a comitiva do governador levantando faixas e se colocando na frente dos carros, enquanto gritavam palavras de ordem. Zema e sua equipe tentavam entrar no prédio onde acontecia o evento Programa Minas Forma. Para liberar acesso da comitiva, uma equipe de seguranças entrou na frente dos manifestantes e empurraram os servidores, enquanto rasgavam suas faixas.

Assista ao vídeo abaixo:

O presidente do Sindicato dos Servidores da Polícia Civil de Minas Gerais (Sindpol-MG) e da Federação Interestadual dos Policiais Civis da Região Sudeste (Feipol-SE), Wemerson Oliveira, estava presente no momento do ocorrido e afirmou que mesmo que ninguém tenha saído ferido, ele e outros colegas foram agredidos pelos seguranças de Zema.

— Foi um desrespeito enorme conosco. Eles usaram algum tipo de objeto afiado para cortar as nossas faixas — conta Wemerson — Uma das faixas estava bem na frente do peito de um colega. Poderíamos ter saído machucados de uma situação em que estamos somente cobrando os nossos direitos.

Reajuste proposto é criticado por servidores
Os servidores protestavam contra o reajuste de 3,62% proposto pelo governo estadual às carreiras do Executivo estadual. O projeto de lei que prevê o reajuste passará por uma nova discussão pela Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG ) nesta terça-feira. De acordo com um cálculo feito pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), o valor não serve para cobrir sequer a inflação registrada no ano passado, que foi de 4,52%, medida pelo IPCA.

— Em 2019, nós tivemos um intenso ano de negociações com o governador Zema — conta Wemerson. — Havíamos chegado a um acordo, naquela época, de um aumento de 37%, dividido em três parcelas para os anos de 2020, 2021 e 2022.

Na época, Zema enviou o projeto de lei para a ALMG que votou por aprovar a medida. Quando o texto foi reenviado para o governador sancioná-lo, Zema vetou os artigos que garantiam o pagamento das parcelas dos anos de 2021 e 2022.

— Foi a primeira vez na história do estado que um governador vetou o próprio projeto — comenta Wemerson.

O presidente também afirma que, após sete anos desde a primeira negociação, a perda inflacionária, que em 2019 era de 37%, atingiu, segundo o IPCA, o valor de aproximadamente 41,60%.

— É importante deixar claro que não é simplesmente um aumento de salário — diz Wemerson — A polícia civil do estado está sucateada. Se você visita uma delegacia daqui, vê o estado deplorável que elas se encontram. Enquanto isso, o governador aprovou outro dia um aumento de quase 300% no salário dele e dos seus secretários. É um fato lamentável.

O Globo entrou em contato com a assessoria do governador, mas ainda não obteve resposta. O espaço segue aberto.

Veja também

Lula, sobre defender exploração na Margem Equatorial: Não há contradição
meio ambiente

Lula, sobre defender exploração na Margem Equatorial: Não há contradição

Lira, sobre MP do Acredita: não chegou ainda nas vias de discussão das minúcias do Legislativo
medida provisória

Lira, sobre MP do Acredita: não chegou ainda nas vias de discussão das minúcias do Legislativo

Newsletter