A-A+

Senado

Wagner Rosário passa à condição de investigado pela CPI

Anúncio foi feito pelo presidente Omar Aziz (PSD), que encerrou a sessão em seguida.

Ministro da CGU passará à condição de investigado pela CPIMinistro da CGU passará à condição de investigado pela CPI - Foto: Roque de Sá / Agência Senado

A sessão da CPI da Pandemia foi interrompida após um bate boca entre o depoente, ministro da Controladoria-Geral da República, Wagner do Rosário, e a senadora Simone Tebet (MDB). 

No retorno da sessão, o senador Renan Calheiros (MDB) solicitou que o depoente passasse da condição de testemunha para investigado, sendo atendido pelo presidente Omar Aziz, que informou a nova condição do ministro Wagner Rosário antes de encerrar a sessão.

Bate boca
Wagner do Rosário disse que a senadora Simone Tebet, que usou seu tempo para fazer uma série de acusações sobre a sua omissão, estaria "descontrolada", gerando revolta dos parlamentares oposicionistas. Simone revidou, chamando o depoente de "machista". A discussão foi encerrada pelo presidente da CPI, Omar Aziz (PSD).

"Essa CPI não aceita desrespeito, arrogância, petulância e não aceita mentiras", disse Tebet a jornalistas após o encerramento da sessão. "O mais importante eu consegui extrair do ministro. É mais um elemento de prova que o contrato da Covaxin foi fraudulento", completou. 

A senadora relatou o que aconteceu após a briga com o depoente e a suspensão da sessão. "Conversamos ali, ele entendeu que se exaltou, demorou um pouco pra isso, mas reconheceu. Para mim isso é página virada", disse.

 

Veja também

Influenciador bolsonarista, Allan dos Santos, dribla bloqueio e continua nas redes sociais
STF

Influenciador bolsonarista, Allan dos Santos, dribla bloqueio e continua nas redes sociais

Auxiliares defendem que Bolsonaro 'paz e amor' mire no voto da terceira via para 2022
ELEIÇÕES 2022

Auxiliares defendem que Bolsonaro 'paz e amor' mire no voto da terceira via para 2022